Ivinhema - MS, quinta-feira, 29 de junho de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 25/04/2017 às 13h18

FÁTIMA DO SUL: Prefeita é cassada e ficará inelegível durante oito anos

Sentença é da juíza Rosângela Fávero, da 4ª zona eleitoral do município


- Correio do Estado

Foto: Divulgação

Além de Ilda, o vice dela, Altair Albuquerque (PR) também foi cassado

Cassada pela segunda vez, a prefeita de Fátima do Sul, Ilda Machado (PR), terá que pagar multa de 10.000 em Unidade Fiscal de Referência (UFIR), equivalente a R$ 10.641, e ficará inelegível por oito anos.

 

A sentença é da juíza Rosângela Alves de Lima Fávero, da 4ª zona eleitoral de Fátima do Sul. Além de Ilda, o vice dela, Altair Albuquerque (PR) também foi cassado.

 

O Ministério Público (MPE) ajuizou o processo contra Ilda, Altair e outras duas pessoas alegando que eles teriam comprado medicamentos para eleitores em troca de votos, apoiando diretamente a campanha da prefeita eleita. Esta ação caracteriza crime de corrupção eleitoral.

 

Para os parceiros de Ilda e de Altair, que foram citados no processo, a multa é de 2.000 UFIR´s também com inelegibilidade de oito anos subsequentes à eleição de outubro de 2016.

 

Há menos de um ano, a prefeita já tinha sido cassada em decisão proferida pela mesma juíza por outras irregularidades. O primeiro caso ocorreu em novembro de 2016, quando Ilda venceu a eleição com 51.67% (6.882 votos), contra 48.33% (6.438 votos) do candidato derrotado, Junior Vasconcelos, do PSDB.

 

Agora, Ilda terá de se defender das denúncias de compra de voto e de caso conhecido como ‘peito de ouro’, em que a prefeita escondia dentro do sutiã valor dedicado a eleitor supostamente comprado.

 

Ilda Machado será julgada nesta quarta-feira (26) em Campo Grande.