Ivinhema - MS, quarta-feira, 16 de agosto de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 30/05/2017 às 09h39

ANGÉLICA: Câmara convida secretário de obras para participar do ‘Café com Secretário’


Ivinoticias

Foto: Divulgação

Vereadores com o secretário de obras

À convite da Câmara Municipal de Angélica, o Secretario de Obras Márcio Peres, participou nesta última segunda-feira (30) do Marcelo Peres, para participar do “Café com Secretário”; onde os vereadores puderam fazer perguntas e questionar algumas situações. O “Café com Secretário” acontece toda segunda-feira, onde um secretario é convidado pelos vereadores para poder falar sobre seus trabalhos e responder os questionamentos dos vereadores.

 

Conforme apurou o Site Ivinoticias, os vereadores puderam fazer três perguntas, e a reunião iniciou com o sorteio dos vereadores, no qual a vereadora Marieta Pereira de Souza foi escolhida mas dispensou uso da palavra. Em seguida Ana Barbosa questionou sobre a Garagem da Prefeitura, onde a mesma não está atendendo os pequenos produtores do município, o secretário explicou a real situação dos equipamentos que lá se encontram, muito deles estão em manutenção, porém todo serviço está pendente por falta de peças devido o processo licitatório também estar pendente; Ana Barbosa também questionou sobre o FUNDERSUL (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário de Mato Grosso do Sul) necessariamente sobre os recursos em caixa e a manutenção de estradas vicinais; respondeu o secretário que o FUNDERSUL é de aproximadamente R$ 338 mil reais em caixa, mas por falta do processo licitatório não há como realizar manutenção e também não há mão de obra; em relação a iluminação da cidade ainda observada pela vereadora Ana Barbosa, Marcelo diz que já foi feita CI mas não há material para realizar manutenção nos postes.

 

Na sequencia o vereador e presidente da Câmara Municipal, Boquinha, pediu explicação em relação a estes processos licitatórios citados acima, se existe algum prazo para regularização dos mesmos, Marcelo respondeu que até o mês de Julho/2017 estará possivelmente tudo resolvido para então começar dar sequência nas manutenções e projetos dos quais estão parados, segundo o secretário existem alguns processos que estão em andamento, mas há falhas por conta da implantação do novo sistema. A vereadora Ana Barbosa ressaltou sobre a importância da implantação de um deposito com tampa para desfazer de todo lixo encontrado no cemitério municipal, segundo Marcelo “Estamos passando por um grande problema em nosso município, e não há mais onde colocar todo material descartado da cidade”, complementou ainda que só existe um funcionário no cemitério; lembrou também do aterro sanitário que se encontra pendente por conta da Prefeitura de Ivinhema, apenas a Usina Adecoagro e o Município de Angélica contribuíram para implantação.

 

Logo mais o vereador Rubens Bogaz falou sobre o patrolamento do Bairro São João, o que sabemos é que as patrolas estão em prontidão para execução do serviço, mas por conta da chuva atrasou todo serviço a ser executado.

 

Em relação ao distrito de Ipezal, o vereador Alex Ferreira quis informações sobre as solicitações feitas ao secretário como: Construção de Quebra-Molas, pintura dos mesmo e emplacamento do distrito; solicitou também informações sobre equipamentos que iriam ser doados para o distrito (Caçamba e Pá Carregadeira), Marcelo afirmou que só não foi feito todo este serviço por conta do problema já dito antes, os processos licitatórios, quanto aos equipamentos estão aguardando e estudando a possibilidade de enviar equipamentos novos.

 

O Vereador Adão Gonçalves colocou em discussão a possibilidade de convidar o Prefeito Roberto Cavalcante para uma reunião na próxima segunda afim de discutir sobre todos estes processos licitatórios que ainda não foram executados e sanar dúvidas, Almir aproveitando dispôs do apoio do Poder legislativo ao Secretariado para que crie uma lei que regulamente a Malha Viária.

 

Finalizando a reunião, o Secretário esclareceu sobre o cascalhamento da MS 141, onde todo equipamento e mão de obra foi concedido pela AGESUL, porém a obra parou por falta de parceria dos produtores rurais que possuem cascalho em suas propriedades, mas que infelizmente não firmaram parceria para que realizasse o cascalhamento.