Ivinhema - MS, terça-feira, 22 de agosto de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 30/05/2017 às 15h42

Quatro dos cinco integrantes de comissão foram citados em delações da JBS

Grupo investigará possíveis crimes praticados pelo governador


Correio do Estado

Foto: Victor Chileno/ALMS

Eduardo Rocha e Pedro Kemp foram citados nas delações e integram a comissão

Quatro dos cinco integrantes da Comissão Especial escolhidos hoje para investigar possível crime de responsabilidade praticado pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), foram citados nas delações da JBS. Entre eles, estão os parlamentares Pedro Kemp (PT), Eduardo Rocha (PMDB), Márcio Fernandes (PMDB) e Flávio Kayatt (PSDB). O quinto integrante e o único que não teve nome citado foi o deputado estadual Paulo Corrêa (PR).



Novas denúncias


Parlamentares consideraram coerente inserir nas investigações as novas denúncias contra o governador que foram divulgadas no último domingo (28), no programa Fantástico. "Por ser o mesmo objeto, creio que é coerente inserir. Não tem necessidade de criar nova comissão", disse o presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi (PMDB).

 

Na semana passada, parlamentares decidiram criar Comissão Especial para investigar denúncias feitas pelos delatores donos do frigorífico JBS contra o governador do Estado. Porém, novas denúncias foram divulgadas no Fantástico.

Impeachment Azambuja


O deputado estadual Eduardo Rocha não quis manifestar sua opinião sobre as denúncias contra o governador. "Se eu falar que sou contra ou a favor do impeachment dele não posso mais participar da comissão", disse o parlamentar.

 

Rocha também salientou que o governador já se defendeu e que o Legislativo é responsável por apurar os fatos. "Vamos pedir cópia das delações da JBS", disse Rocha.

 

O deputado estadual Lídio Lopes (PEN) declarou que muitas denúncias são apenas 'falácias'. "Não é competência da Assembleia julgar o crime, temos apenas que investigar se houve falta de responsabilidade do governador", declarou Lídio.

 

Azambuja, em sua defesa, já se manifestou declarando que os empresários do setor frigorífico e de couro que o acusaram em entrevista no Fantástico, são "fraudadores do Fisco", e que emitiram mais de R$ 200 mil de notas frias usando empresas 'fantasmas'.

 

A expectativa dos deputados estaduais é de que em menos de 30 dias apresentar relatório sobre as investigações. "Não vai acabar em pizza", declarou Rocha.

 

Deputados vão se reunir hoje para definir quem será o presidente da Comissão Especial. "Até o fim do dia estará definido", garantiu a assessoria do Legislativo.