Ivinhema - MS, segunda-feira, 26 de junho de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 14/06/2017 às 08h33

CPI da JBS pode acabar em pizza na Assembleia Legislativa

Deputados não se entendem sobre quem investigar acusações de pagamento de propinas


- Correio do Estado

Foto: Victor Chileno/ALMS

Rinaldo e Zé Teixeira, da base governista, têm posição diferente sobre a exclusão de André e Zeca

A CPI da JBS na Assembleia Legislativa pode acabar em pizza por causa do impasse provocado com a falta de consenso sobre quem será investigado. O PT se uniu ao antigo rival PMDB para livrarem os ex-governadores José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT, e André Puccinelli (PMDB) da apuração sobre eventuais vantagens obtidas nas concessões dos incentivos fiscais como foram delatados por Wesley Batista, um dos donos da JBS. Os deputados querem centrar apenas nas acusações contra o atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB) por ser um dos prováveis beneficiários de propinas da empresa. André e José Orcírio também foi citados por Wesley.

 

Até ´fiel´aliado de Azambuja, deputado Zé Teixeira (DEM) é contra a inclusão de José Orcírio e André Puccinelli nas investigações da CPI. Ele defende apenas apuração sobre a denúncia contra o atual governador. “Ex-governadores não fazem parte do objeto. Tem que investigar o que está acontecendo agora”, disse o parlamentar do DEM. “Não tem nada a ver pegar ex-governadores, isso foge do lapso temporal”, ressaltou Teixeira.

 

Mas a base governista apoia a inserção de Zeca e Puccinelli. “Sei que não faz parte do lapso temporal, mas faz parte do objeto, pois os nomes deles foram citados”, lembrou o líder do Governo, deputado estadual Rinaldo Modesto (PSDB).