Ivinhema - MS, terça-feira, 12 de dezembro de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 12/08/2017 às 09h25

Cuca pediu demissão após 'caso' Felipe Melo e queda na Copa do Brasil


- Gazeta Esportiva

Foto: Gazeta Esportiva

Cuca pediu demissão após ‘caso’ Felipe Melo e queda na Copa do Brasil

Cuca pediu demissão do Palmeiras após a eliminação alviverde nas quartas de final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro, e o ‘caso Felipe Melo’. Nesta sexta-feira, o gerente executivo Alexandre Mattos revelou a informação em conversa informal com os jornalistas, e o fato foi confirmado por Cuca em entrevista coletiva.

 

“(Após o jogo contra o Cruzeiro) eu falei: ‘se vocês acharem que é melhor a minha saída, eu entendo’. Mas disseram que não, então foi uma decisão da diretoria, não minha, e foi a única vez que aconteceu. Eu cumpro meus contratos, vou até o final do Campeonato Brasileiro. Tenho contrato até o final do ano. Lógico que eu não sou o dono, como eu falei, quem tem que avaliar o trabalho do treinador é a diretoria, não sou eu quem me garanto no emprego. Agora, eu não sou de largar porque perdeu”, afirmou Cuca.

 

Na ocasião, após o pedido de Cuca, Alexandre Mattos passou tranquilidade ao treinador e o convenceu a permanecer, decisão que se mantém até o final da temporada, segundo a dupla. Apesar do discurso afinado, porém, ambos se contradisseram em um momento. Enquanto o dirigente afirmou que o pedido se deveu apenas à eliminação, o técnico disse que o motivo foi apenas o entrevero com Felipe Melo, que resultou no afastamento do atleta.

 

“Eu vejo muito disse e me disse, aqui é um lugar que tem muito disso. Quer falar mal da parte tática, técnica, nunca vou questionar nada. Outras coisas que não são verdadeiras, isso deixa a gente muito sentido. Falar que eu pedi demissão cinco, seis vezes, é mentira. O diretor veio a público com vocês e confidenciou hoje. Uma vez eu falei, ‘se vocês acharem que é melhor eu sair, eu saio’. Que foi o momento lá com o Felipe Melo. Foi a única vez, porque eu não queria tomar aquela medida em cima de uma situação desagradável como foi tomada depois do jogo contra o Cruzeiro, e não foi em cima do resultado, mas sim do episódio em si”, disse o treinador.

 

Após a eliminação de quarta-feira, contra o Barcelona de Guaiaquil, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, porém, não existe a possibilidade de Cuca deixar o Palmeiras. O técnico já havia sido bancado pelo presidente Mauricio Galiotte, teve o cargo garantido por Alexandre Mattos nesta sexta-feira, e deixou clara sua intenção de permanecer.

 

“Eu confio nesses caras, nos meus jogadores. Estou orgulhoso deles, como eu falei depois do jogo de quarta-feira (contra o Barcelona de Guaiaquil, pela Copa Libertadores), da luta, do empenho. Estou triste e aborrecido pelas eliminações. Podíamos ter ido além? Muito. Agora, pedir demissão? Jamais. Vou até o fim, estou preparado para tirar o máximo de cada jogador. Estou mobilizado junto com eles, adoro todos. Estamos juntos até o fim do Brasileiro, e vamos classificar para a Libertadores”, concluiu.