Ivinhema - MS, quarta-feira, 22 de novembro de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 17/10/2017 às 09h31

Após ser obrigada a ficar nua, funcionária da McDonalds é indenizada


noticiasaominuto

Foto: Divulgação

Uma ex-funcionária da McDonalds ganhou na Justiça do Rio de Janeiro uma indenização de R$ 30 mil por ter sido obrigada, pela gerente da loja, a ficar nua. A decisão unânime da Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho foi publicada nesta segunda-feira (16).

 

Assinada pelo ministro Mauricio Goldinho Delgado, a sentença atesta: "A reclamante foi submetida a tratamento vexatório e humilhante, uma vez que, mesmo defendendo-se de uma falsa acusação de furto feita por uma de suas colegas de trabalho, foi obrigada a se despir e ficar, sem roupa, em frente à gerente da empresa e a outras colegas de trabalho, tudo isso no banheiro do estabelecimento onde laborava".

 

A mulher, que teve o nome preservado, era menor de 18 anos na época em que sofreu o constrangimento. Na época, ela foi apontada como suspeita de furtar R$ 80 e dois celulares de outra funcionária. Segundo o relato da vítima, depois de uma revista na bolsa de todos os empregados, ela e duas colegas foram chamadas pela gerente ao banheiro, onde foram obrigadas a se despirem para provar a própria inocência.

 

Na época, ela carregava R$ 150 e um comprovante do saque deste motante. Segundo ela, mesmo depois do dinheiro e dos celulares terem sido encontrado, a loja Arcos Dourados Comércio de Alimentos Ltda, responsável pela franquia, não emitiu qualquer pedido de desculpa. A empresa, em sua defesa, alegou que não havia prova da revista íntima determinada pela gerência.