Ivinhema - MS, terça-feira, 21 de novembro de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 26/10/2017 às 08h43

‘Tô inteiro’, diz Temer ao ter alta de hospital


midiamax

Foto: Divulgação

O presidente Michel Temer deixou, pouco após as 20h desta terça-feira, o Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB). Temer estava acompanhado de assessores, seguranças e da esposa, Marcela Temer. Ela foi a única pessoa fora da equipe do peemedebista a encontrá-lo durante a tarde. O presidente saiu do local andando e acenou e fez sinal de positivo para os jornalistas.


Tô inteiro — afirmou.

 

Temer passou a tarde desta quarta-feira realizando exames devido à uma obstrução na uretra. Ao mesmo tempo, aliados do governo agiam para conseguir o quórum necessário para iniciar a votação da segunda denúncia pelo plenário da Câmara.

 

O líder do PMDB no Senado, Raimundo Lira (PB), esteve na porta do hospital para uma "visita de cortesia" ao presidente. Entretanto, foi impedido de entrar. O parlamentar foi o primeiro aliado do presidente a chegar no local.

 

— Acho que é excesso de trabalho, muito cansaço. Ele está dando o máximo para fazer o trabalho dele — avaliou o líder do PMDB.

 

O presidente, que tem 77 anos, foi internado no início da tarde desta quarta-feira. O Palácio do Planalto informou, por meio de nota, que o presidente sentiu um "desconforto" pela manhã e foi consultado por um médico do próprio Planalto, que constatou uma obstrução urológica. O médico recomendou que Temer fosse avaliado no hospital.

 

Ao deixar o hospital, Temer seguiu para o Palácio do Jaburu, sua residência oficial, e não para o Palácio do Planalto. A primeira-dama Marcela Temer chegou ao Hospital do Exército por volta das 17h.

 

De acordo com o Palácio do Planalto, Michel Temer foi submetido a um procedimento para aliviar a dor chamado de "sondagem vesical de alívio por vídeo". Segundo o informe, o presidente permaneceu em repouso ao longo da tarde.

 

Por volta de 13h, depois de sentir dores para urinar, Temer pegou o elevador e desceu ao anexo do Palácio, onde fica a equipe médica. Examinado pelo médico de plantão, foi aconselhado a ir ao hospital para investigar a obstrução urológica. O presidente seguiu então para o hospital, acompanhado apenas da equipe que faz a segurança do presidente.