Ivinhema - MS, terça-feira, 21 de novembro de 2017

10º min
26º min



Publicado em: 06/11/2017 às 13h27

Preso por acidente que matou advogada pode ser solto com fiança de R$ 50 mil

João Pedro fugiu e só se apresentou 2 dias depois, com advogado


- Midiamax

Foto: Midiamax

João Pedro fugiu e só se apresentou 2 dias depois, com advogado

O estudante de medicina, João Pedro da Silva Miranda Jorge de 23 anos, que matou a advogada Carolina Albuquerque, na última quinta-feira (2) deve ser liberado no início da tarde desta segunda-feira (6), após o pagamento de fiança.

 

Informações extraoficiais são de que a fiança arbitrada é de R$ 50 mil e João Pedro será monitorado por tornozeleira, não passando pela audiência de custódia hoje (segunda). Após ficar dois dias foragidos, o estudante se entregou na tarde de sábado (4).

 

O acidente que terminou na morte da advogada aconteceu na madrugada de quinta-feira (2), na Avenida Afonso Pena em frente ao Shopping Campo Grande. Ao delegado Enilton Zalla, João Pedro teria dito que não estava bêbado e que dirigia no máximo a 70 km/h.

 

João Pedro afirmou que fugiu do local do acidente porque teria sido ameaçado e chamado de assassino por testemunhas que estavam no local, porém, a versão do suspeito é contestada.

 

“Não procede a versão de terem chamado ele de assassino porque no momento em que ele saiu do local a Carolina ainda estava viva, respirando. As pessoas pediram para que ele ficasse lá, mas ele fugiu, possivelmente por estar bêbado”, explicou o delegado.

 

O acidente

O acidente aconteceu na madrugada de quinta-feira (2), na Avenida Afonso Pena, quando em alta velocidade, a camionete de João Pedro colidiu com o carro de Carolina, que morreu no local com o impacto da batida.

 

O filho da advogada, de 3 anos, teve traumatismo craniano e fratura na clavícula. Ele segue internado na ala particular da Santa Casa, e pode receber alta ainda nesta semana.