Ivinhema - MS, domingo, 27 de maio de 2018

10º min
26º min



Publicado em: 24/01/2018 às 08h42

Grupo que pede absolvição de Lula está reunido na Afonso Pena

A concentração no centro de Campo Grande teve início por volta das 6h


- Correio do Estado

Foto: Correio do Estado

A concentração no centro de Campo Grande teve início por volta das 6h

Grupo de manifestantes contrários a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estão reunidos no canteiro central da Avenida Afonso Pena, no cruzamento com a Rua 14 de Julho. A concentração no centro de Campo Grande teve início por volta das 6h e conta até agora com a participação de aproximadamente 30 pessoas.

 

No grupo há presentantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e dos sindicatos dos bancários, dos funcionários dos Correios e dos Trabalhadores em Educação (Fetems) e na Construção Civil (Sintracom).



O presidente do diretório regional do PT em Campo Grande, Agamenon Rodrigues do Prado, afirmou que a manifestação ocorre em defesa de Lula e também pelo direito de o ex-presidente ser candidato nas eleições deste ano.

 

“Não houveram provas contundentes contra o Lula. Só o povo tem direito de dizer se ele deve ser presidente de novo ou não”.



O advogado João Gonçalves, que é membro de entidade Juristas pela Democracia em Mato Grossod o Sul, afirma ter acompanhado o processo contra Lula desde o início e também  afirma não haver provas para a condenação dele.

 

“O próprio Ministério Público Federal (MPF) alegou no cuso do processo não haver provas de convicção contra o ex-presidente, não havia provas fatídicas. Se o juiz Sérgio Moro acatou denúncia com base em ilações (suposição) isso tira a credilidade do julgamento. Como advogado eu acredito na justiça e que o Lula vence hoje por três a zero. Qualquer resultado diferente hoje de absolvição pode ser considerado golpe contra a Constituição e contra a Democracia”.



O presidente do Sintracom, José Abelha, acredita na absolvição e tem expectativa na possível candidatura de Lula. “Se ele for absolvido vai ser candidato e pode vir a ser eleito e fazer mais pelos trabalhadores. A Lava-Jato tem feito muitas vítimas, como o Lula, sem provas”.



Os manifestantes pretendem reunir entre 200 e 250 pessoas até às 10h no local. A reportagem percorreu o centro da Capital e também esteve em frente a sede do MPF, na Avenida Afonso Pena, próximo ao viaduto da Avenida Ceará, porém não encontrou manifestantes favoráveis a condenação de Lula.



ENTENDA



O julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex em Guarujá (SP) começou às 8h30 - horário de Brasília (DF), no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre (RS).



Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pelos processo da Lava Jato na primeira instância. O ex-presidente recorre em liberdade da sentença de 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A defesa nega as acusações e pede ao TRF-4 a absolvição do ex-presidente. Já o MPF pede o aumento da pena de Lula.