Ivinhema - MS, domingo, 27 de maio de 2018

10º min
26º min



Publicado em: 08/02/2018 às 13h40

Mesmo sem salário, vereador comparece em sessão esvaziada na Câmara

18 dos 11 vereadores estavam no plenário


- Midiamax

Foto: Midiamax

"Independente de ter salário ou não, virei normalmente", disse o vereador

Nas vésperas do Carnaval, a sessão desta quinta-feira (8) na Câmara da Capital registrou a presença de 18 dos 29 vereadores. Entre os presentes estava o vereador Lucas de Lima (SD), que viu a Justiça obrigar a Casa a suspender o pagamento de seu salário, em virtude de uma condenação por apropriação indébita.

 

O vereador, que teve a pena declarada extinta pela 5ª Vara da Justiça Federal no começo desta semana, revelou que deve apresentar ainda antes do Carnaval sua defesa no TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), para tentar reverter a decisão que suspendeu seu salário.

 

“O fator determinante não é o salário, nem as verbas que a gente recebe. Enquanto tiver poder de frequentar cidadão, trabalhar, fazer projeto, independente de ter salário ou não, virei normalmente”, declarou Lucas, cujo nome real é Luis Carlos.

 

A suspensão do salário do vereador é oriunda de um imbróglio jurídico decorrente de uma condenação, em 2012, de um processo de apropriação indébita. O parlamentar chegou a ter seu mandato questionado na Justiça. Uma ação pediu a suspensão de seus direitos políticos.

 

Com a decisão que declarou a extinta a punição da pena de um ano e quatro meses de prisão, a defesa do vereador espera por um fim nesse processo. Atualmente, ainda corre na Casa prazo para que Lucas apresente as razões que podem garantir o restante do cumprimento de seu mandato.

 

Próximo ao fim da sessão, quando os projetos sãos votados, o número de parlamentares presentes aumentou; sendo que a única matéria a ser votada nominalmente contou com a aprovação de 25 vereadores.