Ivinhema - MS, domingo, 27 de maio de 2018

10º min
26º min



Publicado em: 14/02/2018 às 15h29

Morre, aos 83 anos, o príncipe Henrik  da Dinamarca, informa o palácio real


- G1

Foto: Reprodução/Twitter/@DanielRosney

Rainha Margrethe II e príncipe Henrik, da Dinamarca

O príncipe consorte Henrik da Dinamarca, marido da rainha Margrethe II, morreu na noite desta terça-feira (13) aos 83 anos, informou o palácio real.

 

“Sua alteza real, o príncipe Henrik, morreu nesta terça, 13 de fevereiro, às 23h18 (local), no castelo de Fredensborg”, residência oficial 40 km ao norte da capital, informou a casa real.

 

Segundo a nota, o príncipe morreu ao lado de sua mulher e de seus dois filho.

 

A causa da morte não foi revelada.

 

O príncipe consorte Henrik, de origem francesa, disse em agosto de 2017 que não quer ser enterrado com a rainha, anunciou o palácio real na ocasião.

 

Frustrado por sempre ter sido relegado ao segundo plano protocolar, o príncipe, de 83 anos, decidiu que não queria compartilhar o túmulo com a soberana, que está "de acordo" com esta decisão, informou ao jornal BT a chefe de comunicação do palácio, Lene Balleby.

 

A decisão do príncipe se deve ao fato de que, ao não ter obtido o título e a função que queria, não tem uma relação de igualdade com sua esposa em vida, de modo que também não quer tê-la na morte.

 

O príncipe Henrik nunca escondeu seu desgosto por não ter obtido o título de rei, e seu descontentamento aumentou nos últimos anos.

 

Apesar de quebrar a tradição real ao não ser enterrado junto com sua mulher na catedral de Roskilde, o príncipe tem a intenção de ser sepultado na Dinamarca. Ele "ama a Dinamarca e trabalhou pela Dinamarca durante mais de 50 anos. O príncipe portanto quer ser enterrado na Dinamarca, mas os detalhes ainda não foram definidos", disse Balleby.

 

O príncipe, nascido Henri Marie Jean Andre Count de Laborde de Monpezat, conheceu aquela que seria sua esposa em 1965 quando trabalhava na embaixada da França em Londres.

 

A enérgica personalidade de Henrik nunca cativou os corações dos dinamarqueses, que zombaram da sua aposentadoria da vida pública no início de 2016.