Ivinhema - MS, segunda-feira, 18 de junho de 2018

10º min
26º min



Publicado em: 22/05/2018 às 13h03

NOVA ANDRADINA: Líder ordenava que comparsas furtassem os próprios clientes

Ação policial aconteceu na última sexta-feira (18), em Nova Andradina, Dourados, Teodoro Sampaio (SP) e Rosana (SP)


Jornal da Nova

Foto: Polícia Civil de SP/Divulgação

Peças de veículos fotografadas durante a operação

De Nova Andradina, Ananias Soares dos Reis, vulgo Pedro, ainda foragido, comandava uma quadrilha especializada na prática de furtos de caminhonetes. Os veículos tinha a numeração raspada após a prática do crime, para serem reinseridas pela associação no mercado. As informações se referem à operação Shirak, deflagrada na última semana.

 

Segundo trechos do inquérito do MPE, obtidos com exclusividade pela reportagem , “a ousadia do investigado [Ananias] é tão grande que, em certos casos, vende as peças para os proprietários de caminhonetes e depois determina que seus comparsas furtem as caminhonetes das pessoas que, de boa-fé, procuraram sua oficina”. 

 

“Do que se infere das investigações, ficou claro que o investigado Ananias Soares dos Reis é o líder do esquema criminoso, pessoa que indica quais caminhonetes devem ser furtadas. Antes da prática do furto, a quadrilha envia fotos das caminhonetes para o investigado Ananias, que aprova o veículo e dá a ordem para a prática do crime”, detalha o MPE em trecho do inquérito.

 

Após o furto, os veículos eram trazidos para Nova Andradina, onde Ananias, segundo o Ministério Público Estadual, coordenava o desmonte, adulterava sinais de identificação e revendia as peças para outras pessoas que, posteriormente, em determinados casos, acabavam vítimas do acusado.