PUBLICIDADE

Cruzeiro tem nove dias para pagar R$ 11,2 milhões na Fifa e evitar nova perda de seis pontos; acordo amigável é improvável

Após dívida com Al Wahda (R$ 5,3 milhões), Raposa tem mais 1,8 milhão de euros para pagar ao Zorya da Ucrânia até 29 de maio, sob risco de perder outros seis pontos

| GLOBO ESPORTE


Foto: Divulgação - Washington Alves/ Light Press
PUBLICIDADE

As chamas do incêndio financeiro/administrativo que assolam o Cruzeiro nos últimos meses ainda têm grande fôlego. Após a punição da Fifa que retirou seis pontos do clube na Série B, a Raposa tem problema futuro de mesma natureza. O clube precisará pagar R$ 11,2 milhões (1,8 milhão de euros) ao Zorya FC, da Ucrânia, - refente à contratação de Willian Bigode em 2014 - até o próximo dia 29 de maio.

 

Caso contrário, serão menos seis pontos na segunda divisão 2020.Na última terça-feira, a Fifa enviou ofício para a CBF decretando a imediata punição ao Cruzeiro (perda de seis pontos) por não cumprir prazo de 90 dias para sanar dívida com o Al Wahda (850 mil euros, equivalentes aos R$ 5,3 milhões na cotação atual).

 

A punição não extingue o problema e haverá nova data para a Raposa quitar o débito (prazo de cinco meses aproximadamente), sob risco de ser rebaixada para a Série C. O quadro com o Zorya é bastante similar, com dívida ainda mais antiga do que aquela envolvendo o volante Denilson.


Willian foi contratado pelo Cruzeiro em 2013, por empréstimo de um ano, e depois em acordo definitivo em 2014. O clube envolvido na operação era o Metalist Kharkiv, mas os créditos da dívida passaram para o Zorya. A discussão já foi para o Tribunal Arbitral do Esporte, retomou para os comitês da Fifa e ganhou contornos finais.

O GloboEsporte.com apurou com fontes ligadas à dívida entre Cruzeiro e Zorya e há um contato direto entre as partes para solucionar o problema. Uma proposta de parcelamento do 1,8 milhão de euros proposta pela Raposa não foi aceite pelos ucranianos. Além disso, a tendência é que o clube brasileiro tenha que pagar integralmente a situação na Fifa, sem novos descontos ou repactuação.

 

Willian foi contratado pelo Cruzeiro em 2013, por empréstimo de um ano, e depois em acordo definitivo em 2014. O clube envolvido na operação era o Metalist Kharkiv, mas os créditos da dívida passaram para o Zorya. A discussão já foi para o Tribunal Arbitral do Esporte, retomou para os comitês da Fifa e ganhou contornos finais.

O GloboEsporte.com apurou com fontes ligadas à dívida entre Cruzeiro e Zorya e há um contato direto entre as partes para solucionar o problema. Uma proposta de parcelamento do 1,8 milhão de euros proposta pela Raposa não foi aceite pelos ucranianos. Além disso, a tendência é que o clube brasileiro tenha que pagar integralmente a situação na Fifa, sem novos descontos ou repactuação.



LEIA MAIS

Futebol
Rodriguinho revela como acertou com Cruzeiro e chama clube de 'barca furada'
Futebol
Cruzeiro abre mão de jovens para quitar salários há pelo menos um ano
Crise financeira foi escancarada no fim do primeiro semestre do ano passado, quando clube abriu mão de jovens revelações para obter recursos e pagar salários atrasados
Futebol
Vagner Love rescinde contrato e não joga mais pelo Corinthians
Futebol
Corinthians encaminha retorno de Jô, mas atacante não tem pressa para fechar negócio
Livre de clube japonês, jogador alinha condições para terceira passagem pelo Timão
Futebol
Neymar é o jogador que mais movimentou dinheiro com transferências na história; top-10 tem CR7 e surpresas
Neymar é o jogador que mais movimentou dinheiro com transferências na história; top-10 tem CR7 e surpresas
Futebol
Botafogo comunica que zagueiro Joel Carli não faz mais parte do elenco
Botafogo comunica que zagueiro Joel Carli não faz mais parte do elenco
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE