PUBLICIDADE

Governo autoriza aumento da conta de luz para ajudar distribuidoras que enfrentam dificuldades (ÁUDIO)

| AGêNCIA 2/UMBERTO FERRETTI


Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

O Governo autorizou empréstimos de até 16 bilhões de reais, para as distribuidoras de energia, que serão pagos pelo consumidor.

 

O dinheiro ajudará a socorrer empresas fornecedoras afetadas pela pandemia do coronavírus e que estariam em dificuldades.

 

Seja porque o consumo de energia caiu, com o fechamento de fábricas e do comércio, por exemplo.

 

Ou porque, como o brasileiro está sem dinheiro, a inadimplência aumentou.

 

Ainda não se sabe exatamente de quanto será o aumento na conta de luz de cada consumidor.

 

Vai depender da fatia dos 16 bilhões emprestada para a distribuidora que atende cada região.

 

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, Elisa Bastos, diz que o dinheiro, na verdade, em algum momento seria repassado para as empresas e diluído na conta de luz do consumidor durante um ano.

 

E que, por conta da crise, haverá uma antecipação e a possibilidade de o cliente pagar esse empréstimo ao longo de cinco anos, a partir de 2021:

 

Sonora

 

Vale lembrar que, por outro lado, o Governo já definiu que, até pela redução do consumo, que ajuda a manter e a elevar o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas, a bandeira da conta de luz será verde, até o fim do ano, portanto sem a cobrança de taxa extra.



LEIA MAIS

Geral
Idoso sobrevive após despencar do 8º andar de prédio
Ele descansava em uma cadeira, quando caiu
Geral
Criança de 3 anos morre após se afogar em piscina
Tragédia ocorreu em Três Lagoas
Geral
Lives deste sábado: Wesley Safadão e Xand Avião, Katinguelê e muito mais
Confira as 15 transmissões ao vivo e seus horários
Geral
RECEITA: Lasanha de frango com queijo
Geral
Homem importuna a ex, descumpre medida sanitária e acaba preso
Ele estava proibido de se aproximar da vítima
Geral
Com 115 anos, cearense é reconhecida como a pessoa mais velha do Brasil
Francisca já não tem mais tanta mobilidade e depende de cadeira de rodas para se locomover
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE