PUBLICIDADE

SUS amplia idade para transplante de células-tronco para doenças sanguíneas em idosos de 75 anos

Ampliação vai de 60 para 75 anos de idade máxima na cirurgias.

| MIDIAMAX


Foto ilustrativa | Reprodução
PUBLICIDADE

O SUS (Sistema Único de Saúde) ampliou, nesta sexta-feira (28), o transplante de células-tronco hematopoiéticas para pacientes de até 75 anos, para tratamento de doenças sanguíneas.

 

O Ministério da Saúde decidiu pela ampliação da idade máxima, aumentando a oferta de tratamento, já que os casos têm maior ocorrência na população acima de 60 anos. O procedimento pode aumentar a sobrevida de pacientes com doenças malignas de sangue em até 15 anos.

 

A pedido da pasta, a Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias em Saúde no Sistema Único de Saúde) recomendou a ampliação de idade, pelo fato de que o transplante é uma alternativa terapêutica curativa para diversas dessas doenças, benignas ou malignas, hereditárias ou adquiridas ao longo da vida e consiste na substituição de medula óssea doente por células de medula óssea sem alterações, oriundas de um doador aparentado ou não aparentado.

 

A avaliação prévia do idoso é importante para um melhor prognóstico pós-transplante. Entre os critérios considerados para realização do procedimento estão incluídos padrões de funcionalidade, saúde mental, cognição, nutrição, uso de medicamentos, existências de outras doenças e condições e suporte social.



LEIA MAIS

Saúde
Em um dia, MS confirma mais de 400 casos de coronavírus e 14 óbitos
Saúde
Estudo sobre plasma sanguíneo na Argentina é esperança para tratamento da Covid-19
Saúde
Uso de máscara pode gerar imunidade contra Covid-19, aponta estudo
Apesar do item não afastar completamente possibilidade de contágio, utilização diminui chances de casos graves, levando a quadros leves ou assintomáticos
Saúde
Homem morre de Covid-19 horas após procurar atendimento médico
Saúde
Fim do preconceito é fundamental para prevenção do suicídio
Setembro Amarelo alerta para doenças como ansiedade e depressão
Saúde
Geralmente confundido com alergia, o angiodema hereditário provoca dor e pode afetar a respiração (ÁUDIO)
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE