PUBLICIDADE

Com focos de incêndio controlados, estrutura do Atacadão segue com risco de desabar

Tenente-coronel dos bombeiros explicou que operação segue sem previsão de encerramento

| MIDIAMAX


Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Em seu segundo dia de resfriamento nos materiais destruídos pelo incêndio, a estrutura da loja do Atacadão da Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, ainda segue com risco de desabamento. Parte do teto estaria sendo sustentado por prateleiras.

 

Conforme o tenente-coronel Carminati, do Corpo de Bombeiros, um dos oficiais da corporação, que é engenheiro, fez uma avaliação no local e foi identificado que o teto ainda corre risco de desabar a qualquer momento. Uma parte da estrutura está escorada em prateleiras, que segundo ele, já deram uma cedida devido ao peso.

 

No local o fogo já foi extinto, mas devido ao material ainda estar muito quente, pode haver uma reignição do fogo. Por tanto, ainda segue a fase de resfriamento e retirada dos materiais para evitar que situação ocorra.

 

“É um trabalho de paciência e técnica, sem previsão de encerramento da operação”, disse o coronel ao Jornal Midiamax. Os bombeiros seguem esperando que os focos de reignição se extinguem para inicial o rescaldo. Devido ao acumulo de material combustível aos fundos do supermercado, a fase de resfriamento acaba gerando bastante fumaça.

 

Até o momento, mais de 650 mil litros de água foram usados no combate ao incêndio e resfriamento do local.

 

Prejuízo milionário
Conforme informações apuradas pelo Jornal Midiamax, a loja onde incidente aconteceu já estaria sendo abastecida com todo o estoque para o período de final de ano e mercadoria, tanto das prateleiras como o do estoque aos fundos, estaria avaliada em R$ 18 milhões. Tudo foi destruído.

 

Fontes extraoficiais relataram que independente de o incêndio ter sido acidental ou criminoso, o seguro da rede deverá cobrir todos os prejuízos e unidade deverá ser reconstruída. Em contato com a assessoria de imprensa do Atacadão, foi relatado que a rede não divulga informações referente ao assunto e prejuízos ainda estão sendo avaliados.

 

Tragédia poderia ter sido evitada
Conforme um empresário do setor de formação de brigadas para empresas, a tragédia poderia ter sido amenizada, caso a ação inicial dos brigadistas tivesse sido efetiva. “Pelas imagens, só havia uma linha de fogo, na gôndola. A chance de ter apagado o fogo ali era grande se tivesse sido acionado tudo corretamente. Assim, não teria tomado essa proporção”, avalia.

 

“Eu vi que o Atacadão informou que alguns brigadistas cuidavam da evacuação do local e fizeram isso muito bem feito, pois não houve feridos. Entretanto, a equipe tem que estar preparada para realizar as duas tarefas [evacuar e combater as chamas] simultaneamente”, concluiu.

 

Certificação
Toda empresa que tem equipe de brigadistas deve passar pela verificação do Corpo de Bombeiros. Conforme o coronel Carminati, os certificados do Atacadão estavam em dia. “Em relação à documentação, tudo ok”, confirmou.



LEIA MAIS

Geral
Dia de Conscientização do Alzheimer alerta para o diagnóstico precoce
Cerca de 50 milhões de pessoas no mundo são acometidas por demência
Geral
Angélica diz ter sofrido síndrome do pânico após acidente de avião em MS
Geral
Caminhoneiro que causou acidente com vítima grave tem liberdade provisória decretada
Geral
Mantida prisão de grupo que tentaria roubar banco no interior a mando de detento
Um dos envolvidos já havia sido preso em março
Geral
Recém-nascida é deixada pendura em portão dentro de sacola
Ele estava enrolada em uma coberta
Geral
270 baleias encalham em ilha da Austrália e pelo menos 25 já morreram
Missão de resgate está programada para começar amanhã (22)
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE