PUBLICIDADE

Estudo sobre plasma sanguíneo na Argentina é esperança para tratamento da Covid-19


Foto: Pixabay

A Argentina vem avançando nas pesquisas do uso de plasma sanguíneo para o tratamento da Covid-19, com resultados animadores. O médico argentino e especialista em doenças infecciosas, Fernando Polack, lidera o estudo sobre plasma convalescente, um dos mais importantes da América Latina com o objetivo de encontrar um tratamento eficaz para o novo coronavírus.

 

Polack afirma que o plasma do sangue de uma pessoa convalescente de Covid-19 pode ajudar na cura de outra que adoeceu recentemente. Embora a transfusão de plasma convalescente já tenha sido usada para tratar doenças há muitos anos, o desenvolvimento de medicamentos e vacinas tornou essa prática rara atualmente.

 

No entanto, o ponto-chave do estudo de Polack e da Dra. Romina Libster, que há 12 anos é sua parceira em diversos projetos profissionais, foi o tratamento precoce com o plasma – até oito dias após o contágio. Um detalhe aparentemente simples, mas que atualiza novamente este tratamento como alternativa para a cura da doença. Polack e Libster avaliam seu estudo como a maior investigação da qual participaram em suas vidas.

 

Medicina na Argentina: como os pesquisadores estão conduzindo os ensaios clínicos com plasma convalescente

 

Em maio, o estudo com plasma sanguíneo começou a ganhar visibilidade na mídia e isso resultou no recrutamento de voluntários, não como pacientes ou doadores, mas como buscadores de pessoas elegíveis para o tratamento.

 

A equipe de especialistas em medicina da Argentina iniciou a investigação no final de abril de 2020, quando a pandemia já havia causado mais de três milhões de infecções e mais de 300 mil mortes no mundo.

 

Em junho, um grande ensaio clínico com mais de 500 voluntários colocou a ideia à prova. Participaram da sua implantação 14 hospitais da Argentina, capazes de receber pacientes de qualquer parte da Província ou da cidade de Buenos Aires.

 

O Dr. Polack explicou que o primeiro grupo que se formou ficou encarregado de estudar a literatura científica para elaborar o protocolo. A equipe médica liderada por ele e pela Dra. Romina inclui sete estudantes dos últimos anos de medicina da Universidade Federal de Buenos Aires, que o médico chama de “Os Sete Magníficos”.

 

Os médicos argentinos contam ainda com o apoio de renomados especialistas internacionais, que definiram os parâmetros fundamentais do estudo: “seriam necessários 210 doentes; a aplicação do plasma deveria ocorrer nas 72 horas após o aparecimento dos primeiros sintomas; e o grupo de pacientes de risco incluiria idosos com mais de 75 anos, ou aqueles com mais de 65 anos com comorbidades ”. Assim, em poucos meses seria possível obter uma resposta se o plasma administrado funciona ou não.

Embora ainda não tenha sido comprovado cientificamente, estão sendo realizadas campanhas na Argentina para doar plasma convalescente. Segundo o médico, o uso em pacientes começou a ser discutido publicamente.

 

Polack também é o responsável pelo teste na Argentina da vacina contra o coronavírus, fabricada pelo laboratório norte-americano Pfizer e pela empresa de biotecnologia alemã BioNTech. O médico se tornou uma das maiores referências do país em pesquisa científica ao liderar os estudos sobre o coronavírus.

 

Fernando Polack se tornou especialista em doenças infecciosas na renomada Universidade Johns Hopkins School of Medicine, de Baltimore (EUA). Ele também foi professor titular de pediatria na Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, e recebeu vários prêmios, incluindo o de Melhor Pesquisador Pediátrico do Ano 2010, concedido pela Society for Pediatric Research (SPR).

 

Segundo o mapa interativo global de casos de Covid-19, atualizado diariamente pelo Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins, a Argentina tem hoje 589.012 casos de coronavírus, com 12.116 mortes.



LEIA MAIS

Saúde
Ana Maria Braga revela sonho com Tom Veiga: 'Foi muito bem recebido'
No 'Mais Você', apresentadora segura Louro José no colo e diz: 'Veio para matar a minha saudade. Só de estar perto, sinto que estou acariciando o Tom'
Saúde
Com covid-19, ministro da Saúde é internado em Brasília
Eduardo Pazuello vai se submeter a exames de acompanhamento do tratamento da doença respiratória, afirma ministério
Saúde
HU inicia testes da CoronaVac em mil profissionais de saúde em Campo Grande
Vacina está sendo desenvolvida e testada no Brasil em parceria com Istituto Butantan
Saúde
Em um dia, MS confirma mais de 400 casos de coronavírus e 14 óbitos
Saúde
Uso de máscara pode gerar imunidade contra Covid-19, aponta estudo
Apesar do item não afastar completamente possibilidade de contágio, utilização diminui chances de casos graves, levando a quadros leves ou assintomáticos
Saúde
Homem morre de Covid-19 horas após procurar atendimento médico
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE