PUBLICIDADE

MS agora tem comitê de enfrentamento à violência contra LGBT+

Outro comitê criado também irá investigar os casos de violência

| MIDIAMAX


Foto: Ilustrativa
PUBLICIDADE

Mato Grosso do Sul, com decreto publicado nesta terça-feira (20), institui o CEVÇGBT (Comitê Estadual de Enfretamento à Violência contra a população de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais), para criar estratégias para reduzir esse tipo de violência no Estado.

 

O decreto também regulamenta também sobre a composição e o funcionamento da CEPLGBT (Comissão Especial Processante LGBT).

 

Essas comissões atuarão sob a coordenação da Subsecretaria de Estado de Políticas Públicas LGBT e, para o responsável pela pasta, Leonardo Bastos, MS está avançando na consolidação das políticas públicas voltadas a população LGBT+.

 

“A Comissão Estadual de Enfrentamento à Violência contra a População de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais (CEVLGBT) tem o objetivo de unir os órgãos públicos na elaboração de estratégias para prevenir, enfrentar e reduzir as diversas formas de violência praticadas contra a população LGBT. Queremos incentivar o diálogo propondo medidas que visem a orientação e a adoção de providências para o adequado tratamento dos casos de violência contra a população LGBT”, explica o subsecretário.

 

Já a Comissão Especial Processante LGBT terá como papel ouvir as vítimas, agressores e testemunhas, analisar as provas apresentadas e encaminhar os processos conforme a legislação vigente. “Nosso Estado tem uma legislação que protege os direitos da população LGBT e é obrigação nossa, enquanto poder público e sociedade civil, buscar melhorias e ampliar a divulgação da lei”, ressalta Bastos.

 

Segundo a Lei nº 3.157, qualquer cidadão ou cidadã que se sentir constrangido, intimidado ou violentado em estabelecimentos comerciais (como lojas, hotéis, shopping centers, etc.) ou por pessoas (funcionários públicos e privados, militares, empregadores, condôminos, etc.) poderá comunicar à Comissão.

 

Para o promotor de Justiça Eduardo Franco Cândia, da 67ª Promotoria de Justiça dos Direitos Humanos “é importante observar que a comissão conta com representante do Fórum Estadual LGBT de Mato Grosso do Sul e do Conselho Estadual LGBT de Mato Grosso do Sul, o que estreita o contato com as vítimas desse tipo de violência, dando-lhes certa representatividade na deliberação de políticas públicas preventivas”.

 

Violência
De acordo com os dados do Disque 100, serviço que recebe, analisa e encaminha denúncias de violações de direitos humanos, em 2018, as denúncias somaram 1.685 casos, que resultaram em 2.879 violações. Destas, 70,56% são referentes à discriminação, seguida por violência psicológica – que consiste em xingamentos, injúria, hostilização, humilhação, entre outros (com 47,95%) – violência física (27,48%) e violência institucional (11,51%).

 

Crimes contra pessoas LGBT ainda são recorrentes e, em alguns casos, a discriminação pode ser discreta e sutil, como negar-se a prestar serviços, não contratar ou barrar promoções no trabalho. Mas muitas vezes se torna evidente em agressões verbais, físicas e morais, chegando a ameaças e tentativas de assassinato.

 

Qualquer que seja a forma de discriminação, é importante que a vítima denuncie o ocorrido. A orientação sexual e/ou a identidade de gênero não deve ser motivo para o tratamento degradante de um ser humano.

 

Para denunciar, a vítima deve acessar este site, ir no menu atendimento e ir no ícone CENTRHO.



LEIA MAIS

MS
Habilitações vencidas em 2020 terão um ano a mais de validade
Resolução do Contran entrou em vigor hoje
MS
Idoso morre atropelado em frente a Universidade
Vítima foi arremessada por um Fiat/Uno
MS
Coronel dos bombeiros morre em queda de helicóptero na divisa de MS e MT
Oficial da corporação do estado do Pará fazia manobra para pegar água em um rio no momento do acidente
MS
Arara é resgatada após ser encontrada com asa quebrada
MS
Depois de título mundial, peão será recebido como herói em MS
Campeão do mundial de rodeios, José Vitor irá desfilar em carro aberto do Corpo de Bombeiros
MS
Mato Grosso do Sul tem o maior investimento per capita do Brasil
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE