PUBLICIDADE

Homens jovens são os que mais se arriscam em ultrapassagens perigosas no trânsito (ÁUDIO)

| AGêNCIA 2/ MILENA ABREU


Foto: Divulgação - Carro Esporte Clube
PUBLICIDADE

Dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde, o DataSUS, revelados em setembro, mostram que o Brasil registrou uma queda anual de 7% nas mortes por acidentes de trânsito no período entre 2015 e 2019.

 

Ainda assim, cerca de 30 mil pessoas perdem a vida todos os anos em estradas, ruas e avenidas do nosso país e outras dezenas de milhares ficam com sequelas por causa de ferimentos.

 

Entre os acidentes que mais casam óbitos estão as colisões frontais.

 

Um estudo realizado na Escola de Engenharia de São Carlos, da USP, constatou que são os homens jovens, na faixa etária de 18 a 25 anos, que que mais se arriscam em ultrapassagens perigosas.

 

De acordo com o apurado, eles têm uma probabilidade 42% maior de se arriscar em manobras de ultrapassagem em pista simples do que homens mais velhos e mulheres.

 

Essa probabilidade é de 36% a mais quando o motorista é homem de 25 a 35 anos –mantendo a mesma base de comparação, ou seja, homens mais velhos e motoristas do sexo feminino.

 

O estudo dos pesquisadores da USP contou com a participação de 100 motoristas habilitados de faixas etárias diferentes, sendo homens e mulheres.

 

Todos realizaram testes de direção em um simulador capaz de reproduzir virtualmente qualquer tipo de rodovia de forma realista.

 

Vale lembrar que, segundo as estatísticas oficiais do governo, a maioria das vítimas fatais de  colisão frontal pertence a esse grupo de jovens e adultos do sexo masculino.

 

Registros do banco de dados da Polícia Rodoviária Federal revelam, por exemplo, que 94% dos condutores envolvidos anualmente em acidentes de colisão frontal no Brasil são homens.

 

Considerando apenas a década entre 2008 e 2018, foram contabilizados 1 milhão e 500 mil acidentes em rodovias federais do nosso país.

 

As colisões frontais foram minoria, cerca de 3 em cada 100 acidentes. No entanto, é o tipo de colisão mais fatal, sendo responsável por 31% das mortes.



LEIA MAIS

MS
Linguiça tradicional de Maracaju é o segundo produto a receber o Selo Arte em MS
Produto poderá ser vendido em todo o país
MS
Jiboia é capturada nos fundos de residência
MS
Após beber com irmão, mulher é arrastada e ameaçada com faca pelo marido
Eles discutiram porque irmão convidou vítima para permanecer em sua casa; ela conseguiu acionar a Polícia Militar
MS
GLÓRIA DE DOURADOS: Duas mulheres são presas e boca de fumo é fechada
MS
GLÓRIA DE DOURADOS: Reeleito foi multado em R$ 21 mil por fazer promoção pessoal em site de prefeitura
MS
Governo de MS estuda Carnaval 2021 para maio, junho ou julho
A prioridade no momento, segundo presidente da Fundação de Cultura do Estado, Gustavo de Arruda Castelo, é manter a segurança dos envolvidos
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE