PUBLICIDADE

Governo de SP aumenta período de proibição de jogos, e Paulistão deve ficar mais tempo parado

Federação Paulista havia garantido retorno do campeonato para 31 de março

| GLOBO ESPORTE


Foto: Divulgação - Globo Esporte
PUBLICIDADE

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira que o Estado ampliou, até 11 de abril, o prazo da fase emergencial de combate à propagação da Covid-19. Na série de medidas restritivas, está inclusa a proibição de eventos esportivos, entre eles o Campeonato Paulista.


– Sobre os eventos esportivos, continuamos seguindo a recomendação do Ministério Público, de restrição na fase vermelha e nessa fase emergencial – disse Jorge Medina, membro do Centro de Contingência do Covid-19 do governo paulista.


O período anterior valia de 15 a 30 de março. A Federação Paulista marcou reunião com os clubes das três divisões para a próxima segunda-feira.


A entidade, contrária à paralisação, passou a arquitetar alternativas para manter os jogos em andamento já no anúncio do período inicial de proibição. Tentou, sem sucesso, convencer o governo e o Ministério Público a derrubarem a medida, estudou levar os jogos a outros estados e debateu com os clubes a possibilidade de ir à Justiça.
E garantiu que retornaria o campeonato em 31 de março. Em nota no dia 22, disse:


"Por fim, a FPF e todos os clubes participantes reiteram publicamente que o Paulistão Sicredi será retomado a partir do dia 31/3 e o término da competição acontecerá na data prevista, 23 de maio."


A Federação chegou a anunciar que havia desistido de buscar outros locais para os jogos e de judicializar a decisão, mas, logo depois, conseguiu levar duas partidas para Volta Redonda: Mirassol x Corinthians e São Bento x Palmeiras.
Por outro lado, não conseguiu um local para Ponte Preta x Santos, já que a Prefeitura do Rio de Janeiro vetou a realização da partida em São Januário.

 

São Paulo vive um momento crítico da pandemia. Nesta sexta-feira, o Estado bateu o recorde de mortes registradas em um intervalo de 24 horas: 1193. No total, foram mais de 70 mil óbitos por Covid em cidades paulistas. A taxa de ocupação de UTI em São Paulo está em 91,6%.
 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE