Profissionais da construção civil adotam medidas para se proteger do sol


PUBLICIDADE

ASSESSORIA

Para evitar que o forte calor de quase 40 graus, registrados diariamente em Campo Grande neste verão, provoque danos à saúde de pedreiros, carpinteiros, serventes e outros trabalhadores da construção civil, estão procurando se proteger do sol intenso.

O sindicato da categoria (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil e do Mobiliário de Campo Grande -- Sintracom/CG) tem promovido constantes visitas às empresas para solicitar rigor no fornecimento de protetores solares, capacetes adequados (com proteção do sol no pescoço e ombros) e água à vontade para os profissionais que são obrigados a trabalhar expostos ao sol.

"Ultimamente o sol parece muito mais quente. Nossos companheiros trabalhadores têm reclamado desse problema. Por isso temos insistido com as empresas para que tomem providências para evitar maiores danos à saúde dos empregados", afirmou o líder sindical José Abelha, presidente do Sintracom.

Ele pede também para que os empregados adotem como uniformes camisas ou camisetas de mangas compridas, para evitar a exposição direta do sol sobre a pele.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE