Cantora de Campo Grande quase morre por consumo exagerado de suplemento alimentar


PUBLICIDADE

MIDIA MAX

Eliane Souza
Patrícia tomou superdosagem de suplemento alimentar BCAA, no detalhe

Tudo o que Patrícia Cantaluppi, 20 anos, queria era ficar com o corpo mais durinho, definido. Para isso procurou uma academia de ginástica na região do seu bairro, o Santo Amaro. Lá foi orientada por um professor de educação física a tomar um suplemento alimentar denominado BCAA, porém indicou uma dose muito elevada para a carga de exercícios que ela estava fazendo.

Patrícia comprou um frasco com mais de 200 cápsulas de BCAA e começou a tomar rigorosamente como o professor de educação física indicou: quatro ou cinco por dia. A rotina de exercícios continuou a mesma entre 40 minutos e uma hora por dia.

"No começo tive a sensação que estava funcionando. Parecia que minha perna estava um pouco mais durinha, mas depois comecei a me sentir mal", relata Patrícia, que é cantora sertaneja e planeja fazer curso superior de jornalismo.

Patrícia conta que começou a sentir muitas dores na região da barriga e abdominal, mas não associou o quadro ao uso do suplemento alimentar. Ela continuou tomando as cápsulas ainda por três meses, mas as dores foram aumentando.

A cantora conta que chegou a procurar um médico em Campo Grande e se queixou das dores, mas nada foi diagnosticado como fora do comum. Nesse período ela já não conseguia evacuar mais.

A cantora ficou 20 dias internada na Santa Casa de Campo Grande. Lá foi feita uma tomografia que acusou pedra nos rins. Segundo ela, o médico afirmou que a prisão intestinal poderia ser por conta do problema renal. "Fiquei muito tempo sem conseguir. Na consulta falei apenas que eram apenas uns dias, mas o médico disse que era normal e me deu laxante. A dor aumentou mais ainda", lembra. Ela ficou internada 20 dias na Santa Casa, foi liberada e as dores voltaram.

Sem saber onde mais buscar ajuda, Patrícia resolveu ir para Três Lagoas onde mora uma irmã. Lá foi levada ao médico que fez uma série de exames e num deles foi diagnosticado um grande acúmulo de fezes que já tomava proporções próximas aos rins e fígado. "Tudo estava empedrado, parecia pedra mesmo", conta.

Foi preciso uma pequena intervenção cirúrgica para retirada das fezes empedradas. Patrícia retornou para Campo Grande, procurou uma nutricionista e agora está com uma alimentação balanceada para recuperar o organismo. "Achei importante tornar isso público porque tem muita gente por aí, a moçada, achando, como eu achava que suplemento não traz problemas para a saúde. A gente só pensa que as bombas (esteróides) é que fazem mal, mas não é bem assim", pondera a cantora.

Patrícia não quis revelar o nome da academia que freqüentava e nem o nome do profissional que a atendeu. Sua intenção foi orientar outras pessoas que estão usando suplementos alimentares. "Quando procurei a academia não fizeram qualquer tipo de entrevista sobre minhas condições físicas e alimentares. Não fiz qualquer exame. Na hora não consegui identificar erros, afinal eu era sadia, mas depois do susto que passei, aliás, quase morri vejo que o assunto é muito sério", alerta.

A cantora teve complicações porque recebeu uma carga excessiva de suplemento, além de creatina, para o exercício físico que fazia. Normalmente, atleta de alta rendimento (profissional) toma de um a dois comprimidos de BCAA por dia, sendo um meia hora antes do exercício e outro meia hora depois. Mas tudo depende de uma análise da atividade e características físicas e biológicas.

O professor de educação física, personal trainer e membro do Conselho Regional de Educação Física, Brunno Elias alerta que toda e qualquer atividade física deve ser precedida de orientação profissional. No caso de ingestão de suplementos alimentares a orientação é sempre buscar um profissional da área de nutrição para fazer uma orientação correta.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE