'Só queria furar um pouquinho', diz dono de restaurante que matou turista em Guarujá


PUBLICIDADE

UOL

A Polícia Civil em Guarujá (86 km de São Paulo) deve pedir nesta quinta-feira (3) a prisão preventiva do empresário José Adão Pereira Passos, 55, que confessou ter matado o estudante Mário dos Santos Sampaio, 22, na véspera do Ano-Novo. O crime ocorreu após uma discussão causada pela diferença no preço do jantar no restaurante de propriedade de Passos.

O dono do estabelecimento e o gerente, seu filho Diego Souza Passos, 23, apresentaram-se na Delegacia Sede da cidade ontem à noite, acompanhados por um advogado. Ao delegado Luiz Ricardo Lara Dias Júnior, o pai disse ter esfaqueado Sampaio para defender o filho de agressões do estudante. O jovem foi golpeado três vezes pelas costas.

"Eu não queria matar ninguém. Só queria furar um pouquinho, para ele soltar o meu filho", afirmou o empresário, em entrevista coletiva concedida após o depoimento. Ele alegou que a arma utilizada foi uma faca de cozinha, que apanhou no balcão de carnes do restaurante --a Churrascaria e Pizzaria Casa Grande, no bairro Enseada, próximo à praia.

Diego confirmou que o desentendimento teve início quando Sampaio e outros turistas que estavam com ele, todos de Campinas (SP), exigiram que fossem cobrados R$ 12,99 para cada refeição, e não, R$ 19,99. "O preço menor é cobrado até as 18 horas, e já passava desse horário. Essa turma começou a confusão por causa do preço". Passava das 19h quando a discussão ocorreu.

Leve desmaio

Ainda segundo Diego, o pai tentou resolver a situação, mas teria sido agredido pelo estudante com chutes e socos. O gerente alegou ter sido golpeado no pescoço e sofrido um breve desmaio. Quando se recompôs, o pai já havia esfaqueado Sampaio.

Ao ver o que aconteceu, Diego tirou o pai do local e ambos fugiram. Outros três garçons que teriam participado da discussão e batido no estudante também saíram e continuam foragidos.

O boletim de ocorrência registrado na noite do assassinato aponta que Mário Sampaio foi agredido com um tapa pelo gerente, e chamou a Polícia Militar. Logo a seguir, Diego e os garçons teriam começado a chutar e esmurrar o estudante. Naquele momento, José Adão foi à cozinha e pegou a faca com a qual matou o cliente.

Policiais apreenderam dois computadores para verificar se o crime foi registrado em vídeo, mas ainda não há informações sobre as imagens do sistema de câmeras do restaurante.

Pai e filho foram liberados no início da madrugada de hoje (3). O corpo de Mário dos Santos Sampaio foi enterrado ontem (2) de manhã, no Cemitério da Saudade, em Campinas.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE