Donos de 854,5 mil veículos devem pagar IPVA 2015 em MS


PUBLICIDADE

Proprietários de 854.557 veículos devem pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2015 em Mato Grosso do Sul, conforme dados da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz). As contas serão entregues entre os dias 1º e 20 de dezembro.


Segundo o órgão, serão lançadas contas para os donos de 482.163 automóveis e utilitários, de 342.596 motocicletas e ciclomotores e de 29.798 caminhões e ônibus.


O IPVA, de acordo com a Sefaz, teve reajuste médio de 7,44% pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O órgão estima que, em 2015, a previsão de arrecadação é de cerca de R$ 300 milhões. Para o mês de dezembro de 2014, o tributo deve render aproximadamente R$ 12 milhões aos cofres do estado.


Pagamento


É possível fazer o pagamento do IPVA à vista com desconto de 15%, até o dia 30 de janeiro de 2015, ou em até cinco parcelas iguais, sem desconto. Nesse caso, as datas de vencimento serão: 30 de janeiro, 27 de fevereiro, 31 de março de 2014, 30 de abril e 29 de maio, respectivamente.

O valor de cada parcela não pode ser inferior a R$ 30, no caso de motocicletas, e R$ 55 para os demais tipos de veículos. Em caso de atraso, haverá juros de mora e multa.


Cálculo


Conforme a Sefaz, a cobrança do IPVA é calculada sobre os preços médios de mercado do automóvel (valor venal) multiplicado por sua alíquota. O valor de mercado é avaliado pela tabela da Fipe.


Reduz-se a base de cálculo do exercício 2015 em 50% para empresas com frotas compostas por mais de 30 veículos registrados em seu nome (carretas, caminhões, ônibus e micro-ônibus), passando de 1,5% do valor da tabela Fipe para 0,75%, de acordo com a secretaria.

Veja exemplo de como calcular o valor do imposto:


Valor venal do veículo: (exemplo: R$ 24.836) Alíquota: 2,5% Cálculo: 24.836 x 0,025 (R$ 620,90 é o valor que será cobrado no IPVA)


Alíquotas


1%: relativo à primeira tributação, incidente sobre a propriedade dos veículos novos motorizados classificados na posição 8711 da NBM/SH, de cilindrada igual ou inferior a 150 cm³, adquiridos de revendedores localizados em Mato Grosso do Sul;


1,5%: caminhões com qualquer capacidade de carga, ônibus ou micro-ônibus para transporte coletivo de passageiros;


2%: ciclomotor, motocicleta, triciclo e quadriciclo;


2,5%: automóvel (carro de passeio), camioneta, camioneta de uso misto e utilitário. Isenções e imunidades


Segundo a Sefaz, são isentos do pagamento do IPVA:


máquina agrícola e de terraplenagem e trator, bem como aeronave de uso exclusivamente agrícola;

locomotiva e vagão ou vagonete automovidos, de uso ferroviário;


embarcação de pescador profissional, pessoa física, por ele utilizada individualmente na atividade pesqueira;


ônibus de transporte coletivo urbano que tenha rampa ou outro equipamento especial de ascenso e de descenso para deficiente físico;


triciclo e quadriciclo, para deficiente físico, de uso individual;


veículos destinados exclusivamente ao socorro de feridos e doentes;


veículos destinados ao combate de incêndios, quando não pertencente a pessoa imune;


veículos rodoviários utilizado efetivamente como táxi, com capacidade para até cinco pessoas, limitada a isenção a um veículo por beneficiário;


veículos com mais de 15 anos de fabricação;


veículos pertencentes ao turista estrangeiro, durante seu período de permanência no país, nunca superior a um ano;


veículos pertencentes à Embaixada, à Representação Consular, ao embaixador e ao representante consular, bem como à pessoa que faça jus a tratamento diplomático, quanto ao veículo de sua propriedade ou posse, condicionado o benefício ao país de origem que adote reciprocidade de tratamento.


O IPVA devido por proprietário ou possuidor, paraplégico ou pessoa com deficiência física, impossibilitados de utilizar o modelo comum, fica reduzido de 60%, relativamente ao veículo automotor que se destine exclusivamente ao seu uso.


São imunes do IPVA, relativamente aos veículos aéreos, aquáticos e terrestres integrantes dos seus respectivos patrimônios:


União, estados, o Distrito Federal e municípios;


Partidos políticos, inclusive suas fundações, as entidades sindicais dos trabalhadores, as instituições de educação e de assistência social, sem fins lucrativos, atendidos os requisitos do art. 14 do Código Tributário Nacional, e do art. 3º, § 4º, da Lei Estadual 1.810/1997;


Autarquias e fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público, desde que tais veículos estejam vinculados às suas finalidades essenciais, ou às delas decorrentes;


Templos de qualquer culto.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE