Dança, teatro e missa em guarani marcam festividades da Virgem de Caacupé


PUBLICIDADE

Em comemoração ao dia de Nossa Senhora de Caacupé, apadroeira do Paraguai, que é comemorado hoje, 8 de dezembro, os colonosparaguaios preparam atividades culturais e uma missa que vai acontecer às 20horas, na Colônia Paraguaia, que fica na Rua Ana Luiza de Souza, 668, BairroPioneiros.


Desde ontem, descendentes e devotos festejam a data. Já tevechurrasco, apresentações musicais e hoje a expectativa é para a peça teatralque conta a história da Virgem de Caacupé e a missa que será rezada nos idiomascastelhano, guarani e português.


Para quem não conhece a história de Caacupé, a palavra emguarani significa \"detrás dos montes\". Pois assim é Caacupé, umapequena cidade, com lindas paisagens, situada a 53 quilômetros da Capital,Assunção.


Localizada na Cordilheira dos Altos paraguaios, Caacupé éconsiderada a capital espiritual do país, e segundo a tradição, a cidade nasceuem torno desta devoção mariana. Consta que em 1600, um índio convertido pelosfranciscanos, exímio escultor, vivia numa pequena aldeia próxima do povoado deTabotí. Certo dia ele andava pelas montanhas quando foi capturado pelos temidosíndios Mbayes, uma tribo ainda pagã. Mas conseguiu escapar e escondeu-se atrásde um gigantesco tronco.


Nos momentos de aflição e angústia, ele teria rezado comfervor à Virgem Imaculada para sair vivo. E segundo a lenda, sua fé o fez ficarinvisível aos olhos dos inimigos. E em gratidão ao milagre da Virgem esculpiuduas imagens da Virgem Maria: uma grande para colocar na igreja de Tabotí e umamenor para sua devoção pessoal.


Mas, houve uma enchente e o vale de Pirayú foi inundado e aforça das águas arrastou tudo por onde passava. Surpresos, os habitantes dapequena aldeia e o índio escultor trataram de retirar as crianças, os velhos eos mais fracos. Depois não conseguiram salvar mais nada, nem mesmo a pequenaimagem de Nossa Senhora que viram ser levada pela correnteza. Quando as águasrecuaram, eles pensaram em abandonar o local, pois as casas estavam quasedestruídas. 


Entretanto desistiram ao constatar que a imagem da SantíssimaVirgem milagrosamente voltara ao mesmo lugar.


Os habitantes então reconstruíram a aldeia e começaram apropagar o culto de Nossa Senhora dos Milagres. Outro índio, carpinteiro deprofissão, construiu uma pequena capela onde a imagem milagrosa foi colocada noaltar, e passou a ser cultuada com o nome de Nossa Senhora dos Milagres de Caacupé.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE