Há 50 anos eles vivem pelo país levando a arte mais antiga do mundo: a do circo


PUBLICIDADE

Há 50 anos a família Rombi se tornou uma família circense. Edesde então roda de cidade em cidade levando a alegria, a magia, os truques emuitas risadas com os palhaços que integram os números de circo.


Apaixonado pela arte circense, Dionizio Rombi, de 67 anos, opatriarca da família, diz que assim que conheceu a vida do circo sabia que aliestava o seu destino. “Meus cunhados tinham uma dupla sertaneja e seapresentavam no circo. Tudo começou com eles. E quando em conheci não quis maisoutra coisa”, diz.


Desde então se passaram meio século de vida e toda a umafamília, constituída, e criada, no mundo de dificuldades, mas também de muitaalegria que o circo proporciona. Embaixo da lona já armada e gasta, ele dizcomo eram os espetáculos de antigamente. “Antes tinha muitas apresentações desertanejos. As duplas Milionário e José Rico, Tonico e Tinoco, são alguns dosnomes que se apresentaram no Circo Dione”, diz.


Hoje, o espetáculo é mais voltado a boa e velha arte criadanas trupes. Globo da morte, trapézio, malabarismo, equilibrismo e claro, muitasrisadas com o táxi maluco e as esquetes de teatro completam o show.


Sem esquecer quem são seus verdadeiros clientes, Dioniziodiz que enquanto houver criança a arte do circo vai sempre existir.


De pai, para filho

Filho de Dionizio, Dario Alfredo Rombi, de 40 anos, hoje équem toma conta do negócio da família. Ele diz que nasceu e se criou no circo,e assim está fazendo com seus filhos. “Somos todos parentes, todos artistas. Mecriei aqui e aqui crio meus filhos. Para mim esta vida é a prazerosa”, diz.


Sobre as dificuldades, só reclama do trabalho de montar edesmontar a estrutura. “Não vejo dificuldades. Hoje é até mais fácil. Temos leique garante o estudo das crianças. E o preconceito também é bem menor”, afirma,pontuando que antes era mais complicado.


Os filhos, que já passaram por cerca de 20 escolas só esteano, não decepcionam. E mesmo com toda a correria de apresentações são bonsalunos. “Hoje foi a entrega da nota, e os três pequenos passaram direto. Sãoótimos alunos. Não dão trabalho, é só a loucura mesmo de cada vez ser umaprofessora diferente. Mas eles são atirados e não passam apertado. Quandochegam à escola viram sensação. São os artistas”, comenta.


Apoio

Apesar de viverem de forma simples e com muito pouco, aalegria é estampada no sorriso da família. Dario conta que aqui em Campo Grandeestá se sentindo muito bem, pois teve muito apoio para resolver todas asquestões burocráticas. “Tem cidade que é difícil, a gente chega e leva diaspara tirar alvará. Aqui eles entendem que somos itinerantes e temos pressa”,diz.


Espetáculo

O espetáculo do Circo Dione estreia nesta sexta-feira (12),às 20h30, e segue até quarta-feira (17). Apenas no domingo haverá sessãoàs 17 horas e às 20h30. O ingresso custa R$ 10,00, mas quem tiver o pré-conviteque está sendo entregue nas redondezas do Bairro Parati paga R$ 5,00. Criançasa partir de 4 anos pagam entrada. Já as guloseimas como pipoca, maçã doamor, churros e refrigerantes custam R$ 2,00. O circo está montado em umterreno na rotatória do Bairro Parati, no início da Rua da Divisão.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE