Após confusão por causa de Neymar, Marquinhos acusa policial de agressão


PUBLICIDADE

UOL

A vitória do Ceará sobre o Santos por 2 a 1, no Castelão, terminou em uma nova confusão envolvendo Neymar. O atacante se desentendeu com João Marcos, e outros atletas se aglomeraram para defendê-lo. No tumulto, Marquinhos acusou um policial de agressão, com o uso de cacetete, e exibiu a marca nas costas.

Após o ocorrido, os santistas ficaram revoltados e cercaram o policial, que deixou o campo rapidamente.

“O comandante viu que fui agredido e fez assim para segurar o seu comandando. Um rapaz da imprensa também viu. O povo não merece um policial tão desqualificado como esse”, afirmou Marquinhos.

Responsável pelo policiamento no Castelão, o capitão Andrade disse que não viu a agressão. “Não vi nada. Quero saber o que houve, vou esperar apaziguar e tomar as providências”, declarou.

O centroavante Marcel chegou a apontar o dedo na cara do policial, que fugia do campo. “Ele deu um soco nas costas do Marquinhos por trás”, esbravejou.

O Santos promete realizar um boletim de ocorrência em Fortaleza, pela agressão a Marquinhos e porque o policial se evadiu do local. A informação veio da delegação do clube paulista.

A briga no Castelão
Neymar e João Marcos discutiram ao final da partida, e um ameaçou o outro. O meio-campista chamou o santista para briga. “Não pode encostar nele, estou só marcando”, justificou o cearense nos microfones. Depois gritou: “vem Neymar, vem Neymar.”

Já a revelação de 18 anos, após o bate-boca, se afastou do tumulto e partiu em direção ao vestiário, sem participar da discussão de seus companheiros com o policiamento.
 


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE