Olarte nomeou engenheira de confiança de Amorim para 'cuidar' contratos da Seintrha


PUBLICIDADE

 Enquanto obras milionárias se desmancham com as águas dachuva causando inundações, alagamentos e buracos nas ruas de Campo Grande,servidores dizem que o empreiteiro João Alberto Krampe Amorim assume cada vezmais poder na Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte eHabitação). Segundo a denúncia, a interferência de empreiteiras nos trabalhosdo órgão municipal nunca teria sido tão descarada.


\"Agora a coisa desandou de vez mesmo. Que há influênciadesde que o grupo do PMDB chegou à Prefeitura, todo mundo sabe. Só que nuncatinha sido tão evidente assim. O senso de posse e impunidade subiu à cabeçadesses senhores\", resume um servidor público que há mais de 25 anos trabalhano setor de obras da Prefeitura de Campo Grande.


As \\'evidências\\' às quais o servidor se refere incluiriam anomeação de uma engenheira civil considerada \\'pessoa de confiança\\' de JoãoAmorim para posição estratégica na Seintrha.

Renilda Ota Miyasato, que mantinha o nome até agorapreservado no circuito das publicações oficiais, foi nomeada pelo prefeitoGilmar Olarte (PP) no último dia 3 de dezembro como diretora de Gestão deContratos na Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação.


\"Essa mulher chegou a assinar ata de licitação em nomeda Proteco, que é do João Amorim. A gente pode dizer que essa nomeaçãooficializou aquele ditado do lobo cuidando do galinheiro\", indigna-se oservidor público de carreira.


Na prática, a engenheira apontada como uma das poucaspessoas de confiança de João Amorim passou a ser responsável justamente pelocontrole de todos os contratos milionários que são mantidos com dinheiropúblico para as empreiteiras em todo tipo de obras da Prefeitura Municipal.

\"Se uma empresa é contratada para construir uma UnidadeBásica de Saúde, passa por lá. Se paga mensalmente para uma empreiteira taparburacos, passa por lá. É, talvez, o terceiro cargo mais importante nahierarquia da Seintrha do ponto de vista dos empresários. Só perde para osecretário e para o financeiro\", resume.


Mas, não para por ai o suposto processo para \\'tomada\\' doórgão municipal pelo grupo de empreiteiras. Na sexta-feira (19), Renilda ganhoudo prefeito mais uma atribuição: foi designada para coordenar a UGPE (Unidadede Gerenciamento de Programas Especiais), que cuida de projetos estratégicos,por onde passam milhões.


Como coordenadora da UGPE, a engenheira de confiança de JoãoAmorim vai conduzir obras de programas como o Saneamento Para Todos, dos PACs 1e 2 (Programas de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal), dos PPI(Projetos Prioritários de Investimentos), Pró Transporte, Mobilidade GrandeCidades e Pavimentação e Qualificação de Vias Urbanas.


Nestes, além de dinheiro municipal, há recursos do GovernoFederal. Renilda não foi localizada para comentar os vínculos profissionais quemanteve com as empresas de João Amorim antes de assumir o cargo para o qual,segundo a denúncia, ele a teria \\'escalado\\'.


A reportagem também tenta, desde quinta-feira (19), ouvirJoão Amorim sobre as suspeitas de que ele estaria à frente de suposto esquemapara favorecer empresas e concentrar contratos na secretaria municipal deobras. Por telefone, desligou ao saber que se tratava de repórter do Midiamax.


Procurado na sede da empresa Proteco para esclarecer qual ograu de relação empresarial que possui com a engenheira nomeada por Olarte,depois de várias evasivas, João Amorim se limitou a declarar que “sepronunciará oportunamente” a respeito de seus contratos e contatos com o poderpúblico.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE