PUBLICIDADE

Lula diz que irá à ONU denunciar perseguição política após condenação

| MIDIAMAX


O ex-presidente Lula (PT) declarou nesta segunda-feira (29) que irá à ONU (Organização das Nações Unidas) denunciar o “Estado de exceção” em que se encontra o Brasil, durante um ato com a presença de advogados e professores de direito.

 

Lula pretende levar à ONU denúncias de irregularidades durante o processo que o condenou na última quarta-feira (24) a doze anos de prisão, no caso em que é acusado de ser dono de um tripléx no Guarujá como “moeda de troca” com empreiteiras interessadas em negócios da Petrobrás.

 

Entre os pontos que serão denunciados está a rapidez no andamento da ação, o cerceamento do direito de defesa e os grampos das ligações telefônicas do escritório de advocacia que cuida do caso do petista, segundo o advogado de Lula, Cristiano Zanin.

 

“Temos visto sistematicamente direitos e garantias serem desprezados, não só no caso do ex-presidente Lula”, disse Zanin. Para o advogado, a Justiça ignorou provas da inocência do ex-presidente que foram apresentadas nos autos.

 

 

O representante de Lula na Comissão de Direitos Humanos da ONU, Geofrey Robertson, disse durante o evento, ocorrido na zona oeste de São Paulo, que o petista tem direito a um julgamento imparcial, como qualquer outro cidadão. Ele criticou Moro.

 

“Não há como o juiz Moro ser esse juiz [imparcial]”, afirmou ele. Robertson diz que Lula não quer imunidade e nem está acima da lei, mas que “tem direitos fundamentais e por isso deve ser tratado de maneira justa”.

 

O evento ocorreu no Instituto Lawfare, de Cristiano Zanin e Valeska Martins, também advogada de Lula. Estavam presentes filiados ao PT e apoiadores da candidatura de Lula, ameaçada pela condenação do TRF4 (Tribunal Regional da 4ª Região).



LEIA MAIS

Política
Junior Mochi realiza palestra sobre alterações na lei das eleições para 2020
Evento foi destinado a agentes políticos e interessados em participar do pleito eleitoral no próximo ano
Política
Governo ainda não decidiu se servidores terão reajuste, diz Hashioka
Secretário espera bom senso dos servidores estaduais
Política
MDB quer Simone Tebet para prefeita da Capital
A senadora não quer aceitar e almeja presidência do Senado
Política
Ex-prefeito que contratou empresa da irmã tem direitos políticos suspensos
eleições 2018
Nesta segunda, Haddad visita Lula em Curitiba
Política
Reinaldo pede a Jair Bolsonaro pacto pelo fechamento das fronteiras
Governador e candidato à reeleição reforça apoio a presidenciável do PSL no Estado e espera ação para melhoria da segurança pública local
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE