PUBLICIDADE

Casal rouba R$ 5 mil de idosa que passou mal em banco de MS

| TOPMIDIANEWS


Uma idosa, de 71 anos, foi vítima de um assalto e teve R$ 5 mil roubados por um casal, que, aparentemente, tentou ajudá-la. Conforme a vítima relatou aos policiais civis, ela foi ao banco Caixa Econômica Federal, no Centro de Três Lagoas, nesta terça-feira (30), por volta das 12h30, para sacar a quantia de R$ 5 mil e pagar o IPVA.

 

No local, seguindo o site JP News, ela passou a sentir forte dor de cabeça e uma mulher desconhecida propôs a ajudá-la. A desconhecida orientou que a vítima fosse à farmácia antes de sacar o dinheiro para comprar um remédio para dor de cabeça e no caminho, deu o medicamento à vítima que a teria deixado 'sonolenta e confusa'. A suspeita acompanhou a vítima à farmácia e, em seguida, ao banco de volta, para o saque.

 

Ainda conforme o site local, ao saírem do banco, havia um carro com duas pessoas conhecidas da suspeita, que ofereceu carona à vítima. Dentro do carro, um rapaz apontou uma arma para a vítima e a mulher que a acompanhou no banco roubou todo o dinheiro sacado.

 

Abala emocionalmente e confusa, a idosa foi à 1ª Delegacia de Polícia Civil de Três Lagoas e registrou boletim de ocorrência de roubo majorado pelo emprego de arma.



LEIA MAIS

Polícial
PM prende ex-cunhado suspeito de matar homem a machadadas em MS
Suspeito negou o crime
Polícial
Funcionários de olaria são presos com rifles
Polícial
Tiroteio termina com prisão de policiais e apreensão de avião com cocaína na fronteira
Sete policiais paraguaios foram presos
Polícial
Presos do PCC torturam agentes penitenciários durante rebelião em presídio
Um dos reféns teve o rosto cortado e recebeu diversas perfurações de faca artesanal. Os outros três servidores também foram agredidos
Polícial
Seminua, mulher de 35 anos é encontrada morta em casa de aluguel
Conforme levantamento da perícia, vítima estava morta há 14 dias
Polícial
Subtenente que ateou fogo em quartel terá que fazer tratamento
Ele foi considerado semi-imputável durante julgamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE