Ivinhema - MS, quarta-feira, 19 de setembro de 2018

20º min
28º min



Publicado em: 04/04/2018 às 08h54

Dione ratifica que ficará no PSDB para disputar vaga na Assembleia Legislativa


- Jornal da Nova

Foto: Jornal da Nova

Dione Hashioka

 

Ex-primeira-dama de Nova Andradina também avaliou gestão do prefeito Gilberto Garcia e lamentou lacunas deixadas por políticos que prometeram representar a região do Vale do Ivinhema

 

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Nova, a ex-deputada estadual Dione Hashioka ratificou que ficará no PSDB para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. “Fico no PSDB. É o único partido que eu me filiei, onde estou desde 1994”, assegurou a tucana, pré-candidata nestas eleições. 

 

Ela já exerceu o mandato por duas oportunidades consecutivas e busca agora retornar ao cargo.  “Tudo tem o seu tempo certo. Por três anos e três meses, trabalhei com o governador Reinaldo Azambuja e pude buscar muitas melhorias, daí vimos a necessidade de nos colocarmos mais uma vez à disposição”, disse. 

 

Sem citar nomes, Dione lamentou as lacunas deixadas por políticos que já residiram no Vale do Ivinhema e prometeram representar a região, mas já haviam mudado de domicílio eleitoral.  “O Vale do Ivinhema tem mais de 100 mil eleitores e está carente de um representante legítimo”, argumentou. 

 

“Alguns desses representantes já moraram no Vale do Ivinhema, mas mudaram de domicípio e o que acabam trazendo é sobra e o Vale do Ivinhema não merece sobras”, complementou Dione ao elencar diversas conquistas para a região, que foram viabilizadas por meio de seus dois mandatos. 

 

“Caminhando pelo Estado, mas principalmente no Vale do Ivinhema, sentimos a diferença nas conquistas dos municípios e o que eles perderam sem o nosso mandato. Ao compararmos os avanços de antes e depois do nosso mandato, com certeza podemos afirmar que estabelecemos um marco por conta de sermos efetivos e sempre presentes”, acrescentou.

 

Para um eventual novo mandato, Dione enfatizou a experiência adquirida ao longo de seus oito anos na Assembleia Legislativa e o período que assessorou o governador Reinaldo Azambuja. “Mesmo sem mandato, as pessoas continuaram nos procurando e nós atendendo, jamais me distanciei da população”, salientou. 

 

Quanto a possibilidade de seu marido, o ex-prefeito Roberto Hashioka, voltar a disputar uma vaga a deputado federal e ambos repetirem a ‘’dobradinha’’ de 2010, a tucana pontuou que a possibilidade, por enquanto, é remota. “Para a região seria excelente, pois capacidade ele tem e a região comporta, mas nesse momento o ideal seria apenas um de nós como candidato”.

 

Questionada sobre como avalia a gestão de seu ex-aliado Gilberto Garcia, que venceu seu esposo por 27 votos de diferença em 2016, Dione evitou polemizar. “É um mandato que distribuiu secretarias para apoiadores, mas respeitamos. Nenhum município merece ser prejudicado por conta de uma má administração, então torcemos para que de certo”, avaliou.

 

Já ao comentar se prevê encontrar dificuldades em pedir votos aos eleitores de Nova Andradina por conta de seu grupo ter perdido o comando da Prefeitura, Dione ponderou. “Acredito muito no serviço que eu e o Roberto prestamos. Independente disso, eleição nunca vai ser fácil, mas não será isso que irá nos intimidar”, concluiu.