Ivinhema - MS, sexta-feira, 16 de novembro de 2018

20º min
28º min



Publicado em: 19/07/2018 às 09h24

Apresentado, Luis Enrique promete surpresas em 1ª convocação pela Espanha

Primeiro desafio do novo comandante será contra a Inglaterra, em Wembley, pela Liga das Nações


GE

Foto: Susana Vera / Reuters

A estrutura de mega evento dava o tom de página virada. Depois do fracasso na Copa, com troca de comando às vésperas da estreia e eliminação para a anfitriã Rússia nas oitavas, a Real Federação Espanhola iniciou o novo ciclo com a apresentação cheia de pompa de Luis Enrique. Nesta quinta-feira, na Ciudad del Fútbol, em Madri, o ex-técnico do Barcelona falou pela primeira vez como comandante da Fúria prometendo mudanças e surpresas já na primeira convocação, em 31 de agosto.

 

- Na minha primeira lista com certeza haverá surpresas. Neste momento tenho em vista uns 70 jogadores, mas a princípio não falo em nomes. Não é possível ainda saber o quanto a equipe vai mudar em relação ao Mundial porque há jogadores em pré-temporada, em férias... É preciso ver em que forma estão, em que condições chegarão. Creio que só poderemos ver isso claramente após avaliações individuais. Acho bom a incerteza deles se estarão no time ou não - disse.

 

Sobre a posição de capitão de Sergio Ramos ou a condição de titular de David De Gea, Luis Enrique se furtou a dar qualquer declaração mais esclarecedora. Os únicos casos que se Luis Enrique se dispôs a comentar nominalmente foram os de Gerard Piqué e Andrés Iniesta, que deram declarações à imprensa sobre aposentadoria e não vestir mais La Roja.

 

- Temos que respeitar as decisões individuais dos jogadores. Piqué já tinha anunciado que deixaria a seleção. André era como um irmão mais novo quando foi meu companheiro. Adoraria tê-lo na lista, mas tenho que respeitar sua decisão. Ainda não conversei diretamente com nenhum, mas vou respeitar os desejos e contar com aqueles que estiverem disponíveis.

 

Luis Enrique foi anunciado no dia 9 de julho e assinou contrato por dois anos, tendo como grande desafio a Eurocopa de 2020. O primeiro compromisso à frente da Fúria será no dia 8 de setembro, contra a Inglaterra, em Wembley. O jogo é válido pelo Grupo 4 da recém criada Liga das Nações da Uefa, torneio bianual a preencher o calendário em anos ímpares - sem Copa ou Eurocopa.

 

Luis Enrique substitui Fernando Hierro, que foi diretor de seleções no último ciclo e assumiu o cargo de técnico provisoriamente durante a Copa do Mundo diante da demissão inesperada de Julen Lopetegui - agora técnico do Real Madrid. Lopetegui foi dispensado no dia 13 de junho, às vésperas do início da Copa, por ter negociado (e anunciado) e contrato com o Real sem o conhecimento prévio da Real Federação Espanhola (Rfef).

 

Luis Rubiales, presidente da Rfef, afirmou que o xará foi o único técnico procurado para assumir a função após a demissão de Lopetegui.

 

- Vamos analisar o que aconteceu na seleção no passado, reconhecer o trabalho de Lopetegui e Fernando Hierro. Agradeço a eles pelo trabalho que fizeram. O futebol é uma evolução constante, e a ideia que vamos buscar aqui é de evoluir - disse Luis Enrique.

 

Natural de Gijón, Luis Enrique tem 48 anos. Como jogador, defendeu Sporting Gijón, de sua cidade natal, Real Madrid e Barcelona. Pela seleção espanhola tem como maior conquista a medalha de ouro olímpico em casa, nos Jogos de 1992. Participou ainda das Copas de 1994, 1998 e 2002 e da Euro de 1996, marcando 12 gols em 62 jogos.

 

A carreira como treinador teve início oficialmente em 2008, ao assumir o Barcelona B após a promoção de Pep Guardiola ao time principal. Em 2011 teve experiência no futebol italiano ao trabalhar no Roma, e ainda passou pelo Celta de Vigo antes de retornar ao Barça em 2014, desta vez à frente do time A. Em três anos conquistou nove títulos, dentre eles a Liga dos Campeõs e o Mundial de Clubes de 2015. Desde julho de 2017 estava em um ano sabático, sem qualquer contrato.