Ivinhema - MS, domingo, 9 de dezembro de 2018

17º min
32º min



Publicado em: 06/12/2018 às 15h30

Votação 'relâmpago': Em menos de 5 minutos, vereadores de MS aprovam aumento de R$ 15 para R$ 19 mil

Segunda votação do projeto pode ocorrer em breve e, em seguida, deve ser sancionado pelo prefeito, ocasionando, "por tabela", aumento do salário do prefeito, vice e secretários.


G1 MS

Foto: Alysson Maruyama/TV Morena

Por 22 votos favoráveis e 2 contrários, foi aprovado o aumento de salário de vereadores, durante sessão nesta quinta-feira (6), em Campo Grande. O projeto, em regime de urgência, foi tornado público durante a manhã no plenário e as comissões deram parecer, em menos de cinco minutos, fazendo o salário bruto saltar de cerca de R$ 15 para R$ 19 mil.

 

O acréscimo, conforme o presidente da casa, o vereador João Rocha (PSDB), começa a valer somente a partir da próxima legislatura.

 

"Eu penso que o momento é adequado por conta de que essa câmara, esses vereadores, essa legislatura, têm a obrigação de fazer. Nós estamos fazendo para que seja válido a partir da outra legislatura, para os outros vereadores que serão eleitos em 2020 e terá vigor a partir de 2021. A legislatura anterior fez a votação para que valesse para essa legislatura e esses vereadores, no início, abriram mão. Mas, não por isso, deixamos de ter a nossa obrigação de fazer para a próxima legislatura. Isto é ritualístico. Colocamos em pauta e foi aprovado para a maioria dos vereadores", afirmou o presidente.

 

Conforme a assessoria de imprensa da Câmara de Vereadores, o salário, hoje em torno de R$ 15 mil, vai para R$ 19 mil. "O que aprovamos hoje foi este percentual com base na constituição federal. O salário em torno de R$ 18 mil era para ter sido aplicado agora, porém abrimos mão e permanecemos com o pagamento em torno de R$ 15 mil. Então, eu creio que estamos seguindo a legislação", comentou João Rocha.

 

A segunda votação do projeto pode ocorrer em breve, ainda conforme a assessoria. Em seguida, deve ser sancionado pelo prefeito, ocasionando, "por tabela", o aumento do salário do prefeito, vice e secretários.

 

Após quase um ano tramitando na Câmara o texto foi aprovado com 156 emendas. O prefeito terá 15 dias para analisar o documento e decidir se veta ou aprova.

 

Plano Diretor

Ao contrário da votação "relâmpago", após quase um ano tramitando na Câmara, o projeto do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental de Campo Grande (PDDUA), foi entregue recentemente com 156 emendas, ao prefeito Marquinhos Trad. A ação ocorreu no último dia 9 de novembro.

 

A proposta foi aprovada no dia 1 de novembro e é um conjunto de diretrizes para o crescimento e o desenvolvimento da cidade, e que engloba áreas de habitação, saúde, educação, segurança pública e mobilidade urbana.

 

Se o prefeito aprovar o texto, o projeto vai ser publicado no Diário Oficial do Município e o plano passará a valer para os próximos 30 anos, com a possibilidade de ser revisado de 10 em 10 anos.