Ivinhema - MS, terça-feira, 21 de maio de 2019

17º min
29º min



Publicado em: 08/05/2019 às 14h53

Câmara cassa mandato de vereadora presa durante operação do Gaeco


MIDIAMAX

Foto: Thiago Morais/Câmara de Dourados

Vereadora Denize Portolann

A Câmara de Vereadores de Dourados cassou nesta terça-feira (07) o mandato da vereadora Denize Portollan (PR), presa em outubro do ano passado durante a Operação Pregão, realizada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). 18 vereadores aptos à votação foram a favor da cassação da vereadora. A Comissão Processante contra a vereadora, que ocorre desde fevereiro, concluiu que houve quebra de decoro.

 

Operação Pregão

A primeira fase foi deflagrada em outubro do ano passado, tendo por objetivo esclarecer a atuação de uma suposta organização criminosa composta por agentes públicos, políticos e empresários, visando à prática de diversos crimes, incluindo fraude em licitação, dispensa indevida de licitação, falsificação de documentos e advocacia administrativa, além do crime contra a ordem financeira e incidência na conduta da Lei Anticorrupção.

 

Os atos teriam sido praticados durante a atual gestão do Município de Dourados. Em dezembro, a segunda fase da operação foi deflagrada.

 

Prisões

 

Durante a primeira fase, foram presos a vereadora Denize Portollan (PR), o secretário municipal de Fazenda, João Fava Netto, o presidente da Comissão de Licitação, Anilton Garcia de Souza e o empresário Messias José da Silva.

 

Durante a segunda fase, foram cumpridos dois mandados de prisão, bem como dois mandados de busca e apreensão. Os alvos eram Rosenildo da Silva França, contador da Prefeitura de Dourados, e Andreia Ebling, a esposa.