Ivinhema - MS, terça-feira, 21 de maio de 2019

17º min
29º min



Publicado em: 10/05/2019 às 13h47

MS lança campanha ‘Maio Laranja - Contra o Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes'

O evento foi realizado no auditório da governadoria


TOPMÍDIA NEWS - Dany Nascimento

Foto: André de Abreu

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), lançou a campanha ‘Maio Amarelo’ nesta sexta-feira (10), com o objetivo de orientar crianças e adolescentes sobre o abuso sexual.

 

Em seu discurso, ele destacou que a maioria dos casos acontece dentro de casa. “A sociedade precisa refletir sobre o assunto. Tivemos um avanço com a era digital, mas, ao mesmo tempo, o Brasil aparece como 11° do mundo com mais casos de violência contra a criança. Mato Grosso do Sul é o primeiro Estado em denúncia, isso é bom, porque as pessoas estão denunciando. A maioria dos casos acontece dentro de casa, às vezes o agressor é pai ou mãe, isso é um absurdo”.

 

Reinaldo afirma que é preciso envolver a sociedade diante da problemática, para denunciar casos de abuso. “O Maio Laranja é o despertar da sociedade. [O problema] é muito grave e acontece diariamente na sociedade, temos que divulgar mais o assunto e conscientizar as pessoas para denunciar os casos”.

 

Ao lado do governador, o deputado estadual Herculano Borges, autor da Lei n° 5.118 que instituí o projeto “Maio Laranja - Contra o Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes” no calendário estadual, afirma que 80% dos casos de abusos são cometidos por pai ou mãe. “É um absurdo, mas é a nossa realidade. As crianças precisam ser orientadas sobre violência sexual, precisamos levar a informação para elas, que são vítimas deste ato”.

 

O parlamentar relembra que ministrou uma palestra em uma escola e ajudou a evitar que uma criança de sete anos fosse vítima de abuso. “Eu ouvi uma mãe contar que a filha de sete anos foi tocada pelo vizinho e saiu correndo pedindo ajuda. Ela contou que o vizinho tocou as partes dela e era para chamar a polícia. A mãe acionou a polícia e, no momento que o policial foi falar com a criança, ela disse que eu tinha ido na escola e ensinei que ninguém pode tocar na parte íntima da criança".

 

A delegada titular da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Marilia de Brito Martins, disse que diariamente oito registros de abusos são realizados na Capital. “Tem dias que p número é maior, depende de cada dia, mas na maioria das vezes, temos oito casos por dia”.