Ivinhema - MS, quinta-feira, 23 de maio de 2019

12º min
18º min



Publicado em: 15/05/2019 às 14h13

Governo ainda não decidiu se servidores terão reajuste, diz Hashioka

Secretário espera bom senso dos servidores estaduais


MIDIA MAX

Foto: Marcos Ermínio

Secretário de Administração espera bom senso dos servidores

O Governo de Mato Grosso do Sul, ainda não sabe se terá condições de reajustar o salário dos servidores estaduais este ano. A secretaria de Administração, espera o resultado do relatório quadrimestral para entender as finanças do governo.

 

A informação foi repassada pelo secretário de Administração, Roberto Hashioka, na manhã desta quarta-feira (15). Ele esteve reunido na governadoria com o secretário de Governo, Eduardo Riedel, que não foi encontrado pela reportagem.

 

Questionado sobre a possibilidade de não ter reajuste, Hashioka respondeu que ainda estava discutindo a questão e é preciso esperar o relatório das finanças. “Enfrentamos dificuldades, estamos acima do limite prudencial e aguardamos o relatório”.

 

Este relatório pode sair ainda hoje, segundo o secretário. Durante a tarde desta quarta-feira,  haverá mais uma rodada de negociação sobre o reajuste e o abono salarial, com representantes das categorias dos servidores. “O abono ajuda no salário dos servidores em até 20%, ele é importante para as categorias”.

 

Hashioka falou esperar que os servidores tenham bom senso. “Os servidores devem ter bom senso de entender que as finanças estão no limite. Precisamos ver a economia do Brasil, alguns estados não estão dando reajuste e não estão pagando a previdência”.

 

 

Sobre o abono salarial que pode chegar a R$ 200 dependendo do salário do servidor, ainda será analisado se o governo vai fixar esse valor, se vai prorrogar ou se vai retirar. “O governo não tem a intenção de prejudicar os servidores”.

 

Em abril, os servidores deixaram de receber o abono, data prevista para o término de acordo com a lei de 2016. A pedido do funcionalismo, o governo decidiu manter por mais dois meses o pagamento do valor, até o término das negociações.