URGENTE: hospital teria outro caso de morte por possível negligencia medica


PUBLICIDADE

IVINOTICIAS

PUBLICIDADE

Depois do caso que abalou o município de Ivinhema e repercutiu no mundo inteiro, sobre o caso de dois médicos que brigaram na sala de parto e o bebe morreu, divulgado com exclusividade aqui no site Ivinoticias e agora Ivinhema tem mais um caso registrado e agora se trata do casal Elizandra Aparecida Fernades de Azevedo e seu pai Estevam Fabiano Marques Ferro.

Conforma apurou o site Ivinoticias que a Dr. Vanessa atendeu a Senhora Elizandra no dia 04/01/2010, consulta essa realizada no posto de saúde do bairro guirai, constatou-se que se tratava de uma gravidez de 40 semanas e 5 dias. E que a medica disse que já era tempo da criança ter nascido e lhe encaminhou para o hospital municipal local, por meio de receituário medico, foi que então na mesma data, dirigiu-se até o hospital municipal de Ivinhema, quando a gestante foi atendida pelo medico, Dr. Renê e que o doutor viu o encaminhamento da Drª. Vanessa, mas disse que ainda não havia chegado o momento do parto, tendo-a dispensado.

Conforme a gestante Dr. Renê havia lhe tratado “super Mal” e após ser indagado pela comunicante se não havia passado da hora do nascimento da criança, o Dr. Renê disse: “você tem que ter paciência, você arruma um filho atrás do outro, a saúde não funciona do jeito que você quer e sim do jeito que eu quero...” que o medico lhe dispensou.

Depois disso a gestante retornou no dia 05/01/2010 ao hospital e foi consultada pelo medico Orozimbo e que o Dr. Orozimbo também lhe dispensou, também afirmando que não havia chegado a hora do parto. E que retornou na segunda-feira dia 11/01/2010 quando foi atendido novamente pelo medico Renê, e que o medico realizou o exame de toque, e disse que estava tudo bem e lhe dispensou, entretanto, adentrou a sala uma enfermeira chamada “Neusa”, a qual sugeriu ouvir os batimentos cardíacos do feto, que o medico Dr. René, com ar de pouco caso, disse “busque o aparelho e ouça você”, desta forma Neusa buscou o aparelho e tentou ouvir os batimentos, mas em dado momento, se dirigiu ao medico René e disse: “não estou conseguindo batimentos, tente você” foi que então o medico tentou ouvir os batimentos, mas também não conseguiu, e a gestante notou que o medico “ficou branco” e passou a perguntar pelo marido da gestante, e Elizandra respondeu que seu marido estava viajando e que o medico providenciou uma ultra-sonografia quando então a própria gestante notou na tela do computador a frase “ BCF ZERO” que passou a questionar o medico sobre o significado disso, mas ele nada dizia, foi então que a enfermeira Neuza, que estava presente, interviu na conversa, lhe pediu calma e esclareceu que seu bebê havia morrido.

De acordo com a Mãe Elizandra pelos cálculos dela o bebê teria que ter nascido no dia 18/12/2009. Quando teria completado 9 meses e no Maximo dia 21/12/2009 por se tratar de uma parto mediante cesariana, tendo morrido por sofrimento fetal, ainda teria sido feito biopsia do cordão umbilical e da placenta, e teria sido constatado essa a causa da morte. O boletim foi registrado no dia 23 de fevereiro por de acordo com a mãe na época não ter conhecimento, não procurou a policia civil.

O site Ivinoticias teve acesso a todos os documentos e de acordo com o pai, eles querem justiça e estão indignados com a situação em que se encontra a saúde publica de Ivinhema.

( na foto a mãe Elizandra e a outra foto do bebe de Elizandra)


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE