PUBLICIDADE

IVINHEMA: Comercio abre na segunda-feira? Prefeito rebate Associação Comercial e alguns vereadores (ÁUDIO)

| IVINOTICIAS


Prefeito Tuta falou ao Site Ivinoticias sobre a situação. Foto Ivinoticias
PUBLICIDADE

Após divulgação de uma live na página oficial da prefeitura municipal de Ivinhema, onde o prefeito Tuta, o promotor Allan e a secretária de saúde, Sônia falaram sobre a questão do coronavírus em Ivinhema, ressaltando que na próxima semana haveria algumas mudanças no decreto que além de fechamento do comércio, aderiu o toque de recolher, o presidente da associação comercial de Ivinhema, Valentim Peixoto emitiu áudios e notas em redes sociais para afirmar que na segunda-feira (30), todo comércio voltaria ao normal, bem como foi a fala alguns vereadores.

 

O Site Ivinoticias recebeu com exclusividade um áudio do prefeito Tuta durante uma live Ao vivo no facebook.com/ivinoticias, salientando que o que está em vigência é o decreto n° 170 do dia 23 de março de 2020, e que até então não haveria outro decreto ou sequer alterações, ficando estabelecido para a próxima segunda-feira este novo passo.

 

O prefeito informou que o presidente da associação comercial foi infeliz na fala, e que alguns vereadores ainda se manifestaram dizendo que igrejas estavam liberadas e isso não está, "até que me provem ao contra eu estou prefeito do município e chefe do executivo e a decisão é minha, falo isso com muita humildade, porque a responsabilidade é toda minha". Continuou Tuta, então um exemplo se a associação comercial assumir toda responsabilidade de tudo que acontecer daí pra frente aí seria outra questão.

 

Mas creio que o presidente só quis ajudar, porque ele saiu de uma reunião com o promotor e já se manifestou, e há 3 horas eu estava em uma live com o promotor e a Sônia e ficou abordado que segunda-feira faríamos as adequações necessárias para promulgar o decreto no mais tardar na hora do almoço, então até lá o que está valendo é o decreto n° 170 do dia 23 de março de 2020 e quem descumprir vão sofrer as sanções descritas no decreto porque o decreto tem força de lei sim.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE