Quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Casal de Batayporã pede ajuda para filho que precisa de cirurgia avaliada em R$ 7 mil

Publicado em: 05/06/2018 às 07h42


Casal vende rifa para conseguir arrecadar R$ 7 mil, valor que será investido na cirurgia bucal de Davi

 

Um casal residente em Batayporã tem usado as redes sociais para pedir ajuda a fim de que o filho, Davi Samuel Leafar da Silva Santos, de dois anos e sete meses, consiga fazer uma cirurgia avaliada em R$ 7 mil. Os pais, Rafael Machado da Silva, de 31 anos, e Valquíria Alves da Silva, de 32 anos, estão fazendo uma rifa para tentar arrecadar o valor necessário para a realização do procedimento.

 

A mãe conta que quando ela estava no segundo mês de gestação, foi acometida por uma grave infecção e os médicos optaram por salvar sua vida, mediante a aplicação de medicamentos fortes, que lhe devolveriam a saúde, mas abortariam a criança. Ela foi submetida ao tratamento, porém, ao invés de ser abortada, a criança nasceu com várias complicações.

 

 “Os médicos disseram que se eu não fizesse o tratamento, morreria. Então a equipe optou pela aplicação da medicação, que causaria o aborto. Ai o milagre aconteceu. Consegui me livrar da infecção sem que meu filho fosse abortado, porém, ele nasceu com a saúde fragilizada”, explica Valquíria, ao afirmar que a criança veio ao mundo com má formação no coração, dois coágulos no cérebro, problemas nas pernas e pés, perda total de audição, duas hérnias, dificuldade de movimentação em um dos lados do corpo e outras complicações.

 

Logo nos primeiros meses de vida, Davi Samuel passou por uma cirurgia do coração, além de outros procedimentos de alto risco. A criança precisou tomar medicamentos que acabaram por afetar a saúde de seus dentes, que ficaram quebradiços. De fato, a dentição de leite da criança ficou tão frágil, que todos os dentes se quebraram, restando apenas as raízes fixadas nas gengivas, e aí é que está o problema.

 

Raízes dos dentes precisam ser extraídas antes que a criança pegue uma infecção ou que gengiva se feche sobre elas - Imagem: Acácio Gomes / Nova News

 

“Os médicos disseram que os toquinhos dos dentes são uma porta aberta para infecções e a entrada de bactérias que podem complicar ainda mais a saúde dele. Além disso, como ele está em fase de crescimento, percebemos que a gengiva está se fechando sobre as raízes dos dentes quebrados, o que pode trazer ainda mais complicações e comprometer a dentição permanente que nascerá quando ele tiver mais idade”, disse o pai.

 

Segundo o casal, a cirurgia para retirada das raízes dos dentes custa em torno de R$ 7 mil, valor que a família não possui. “Como ele é um paciente especial, com cardiopatia e outros problemas, a cirurgia é de risco e são necessários vários procedimentos preparatórios. A operação em si e esta preparação gira em torno de R$ 7 mil. É um procedimento urgente que precisa ser feito o quanto antes”, afirma a mãe.

 

Com objetivo de arrecadar o valor, uma rifa está sendo feita. Pessoas de boa vontade doaram vários prêmios. O casal preparou 700 números que estão sendo vendidos R$ 10,00 cada. “Contamos com a fé em Deus e a solidariedade das pessoas. Precisamos vender todos os números para angariar o valor da operação. Temos urgência em fazer com que o Davi passe pela cirurgia”, diz Valquíria.

 

“Devido ao problema bucal, meu filho se alimenta exclusivamente de um leite especial. Ele ainda precisa tomar continuamente medicamentos para asma e coração. Às vezes conseguimos estes produtos pela Secretaria de Saúde, em outras ocasiões nós é que temos que dar um jeito de comprar, mas a urgência dele é a cirurgia na boca. Se ele pegar uma bactéria ou se gengiva se fechar sobre os dentes quebrados ai tudo ficará mais complicado”, desabafa Rafael.

 

Conforme recomendação médica, Davi Samuel Leafar da Silva Santos frequenta a Escola de Educação Especial Luz do Amanhã, mantida pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Batayporã, onde recebe atendimento especial, no entanto, outros procedimentos que são necessários acabam ficando fora do alcance da família. Por indicação médica, ele deveria passar por neurologista pediátrico a cada três meses, porém, só passou pelo profissional uma vez na vida.

 

“Não temos condições de pagar pelos atendimentos e a Saúde não oferece a estrutura necessária, portanto ficamos de mãos atadas. Nós nos sentimos impotentes diante da situação e da burocracia. Por exemplo, a gente até conseguiria alguns atendimentos para ele em São José do Rio Preto (SP), onde ele fez a cirurgia do coração, porém, eu precisaria ir até lá pessoalmente para marcar, mas sem marcar, a Secretaria de Saúde afirma que não pode me levar e, por meios próprios, não consigo ir, então a gente fica travado”, comenta Valquíria.

 

Segundo Rafael, a prioridade do casal é conseguir vender a rifa a fim de arrecadar o valor da cirurgia para extração das raízes dos dentes. “O resto a gente vai levando, contanto com a solidariedade das pessoas e com a fé que temos em Deus”, finalizou.

 

Serviço

 

Quem quiser conhecer mais de perto a situação do casal e a história de Davi, bem como adquirir os números da rifa ou ajudar de outra forma, pode fazer uma visita para a família, que mora na Rua Uirapuru, 146, fundos, Vila José Mustafá, em Batayporã. Também é possível manter contato com o casal pelo telefone Whatsapp (67) 9 9809-8351.