Haddad quer mais dinheiro para ProUni


PUBLICIDADE

VEJA

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira que estuda mudanças na lei do Programa Universidade Para Todos (ProUni), que distribui bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior. Segundo Haddad, o intuito é acabar com a concessão de bolsas parciais, que custeiam 50% das mensalidades, e aumentar o número de benefícios integrais.

Presente no Senado para uma audiência da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, o ministro afirmou que a mudança visa retomar o objetivo original do ProUni de custeio integral dos estudos de alunos pobres. Haddad acrescentou que as bolsas parciais estão sendo subutilizadas, uma vez que os estudantes não conseguem pagar os 50% restantes das mensalidades. Ele também defendeu que seja rediscutida a oferta de vagas à distância pelo programa, também ociosas.

PNE - Durante a audiência no Senado, Haddad falou também sobre o novo Plano Nacional da Educação (PNE), lançado em 2010. Ele avaliou como positiva a proposta apresentada pela oposição de criar uma comissão especial para avaliar as vinte metas que deverão guiar as ações dos governos municipais, estaduais e federal até 2020.

Inicialmente, a previsão era que a matéria seria analisada pelas comissões de Educação e Cultura, de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser enviada ao Senado. Caso a comissão especial seja criada, ela será a única instância de análise.

“Uma comissão especial tem um rito muito favorável: ela não tem horário nem dia da semana marcados para se reunir e pode fazer quantas audiências quiser. Você designa pessoas ligadas à educação para compô-la, escolhe os melhores quadros e ela vai ter o tempo necessário para amadurecer o plano dentro do Congresso Nacional”, defendeu Haddad, segundo a Agência Brasil.

 


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE