Joana Machado posa em dia de surfe com a filha e diz: 'Ela me dá bronca'

Personal trainer apresenta Ana Luiza, de 16 anos, e fala sobre a relação das duas: 'Às vezes acho que ela é mais minha mãe do que eu dela'.


PUBLICIDADE

Parece que Joana Machado, 34 anos, resolveu eternizar seu DNA na filha Ana Luiza, de 16. E não é força de expressão. Não é apenas a semelhança física entre elas que chama atenção. O jeito de falar, o gênio forte e até o amor pelo surfe, esporte que serviu de pano de fundo para estas fotos, são características em comum entre mãe e filha.


“Eu surfava há muitos anos. Antes de ter a Luiza. Eu a tive com 17 anos. Lembro que pegava onda todos os dias. Ia para a praia de manhã com uma amiga, voltava para a casa correndo para ir para o colégio. Quando tinha horário de verão, voltava para o mar depois da aula. Eu era rata de praia”, lembra Joana diante de Lulu – como ela chama a filha -, que se apaixonou pelo esporte em Búzios, na Região dos Lagos do Rio, durante férias na casa da avó. 

“Comecei a fazer umas aulas de surfe, mas ainda estou aprendendo. Já sei fazer algumas coisas. Já desço uma ondinha, mas ainda quero me aperfeiçoar”, diz a filha de Joana Machado, que só supera a mãe na altura – ela tem 1,78m contra 1,72 da personal trainer -, e na hora das broncas. Isso mesmo: na hora de colocar \"ordem na casa\", quem fala mais alto é a adolescente. “Se precisar, puxo a orelha dela, sim”, diz Ana Luiza.


Mas os puxões de orelha seriam sobre o quê? “Ah, umas coisas aí que acontecem”, despista a jovem, sem entregar a mãe, mas dando um sorriso cúmplice. Joana retribui o sorriso e concorda. “Ela me dá bronca. Às vezes acho que ela é mais minha mãe do que eu dela”, diverte-se a personal trainer, que garante ainda que a filha não dá o trabalho costumeiro dos  adolescentes.

“Tenho preocupação de mãe, dessa coisa de namorado... Tenho medo dela se envolver com um garoto que não seja legal. Mas ela é lindona, um mulherão e tem a cabeça boa. Acho que não vai acontecer nada”, derrete-se Joana, lembrando que ela mesma era uma menina quando teve a filha. “Converso muito com ela. Digo que quando a gente tem filho, a gente tem que abdicar da nossa vida. Eu, por exemplo, não tive uma parte da minha adolescência. E a Luiza adora curtir. Ela é popular, comunicativa, gosta de sair... Eu sempre tive na minha cabeça que iria ter filho nova. Já a Luiza não, né, filha?”, pergunta. “Mas também velha, não, né mãe? (risos)”, devolve a herdeira.


Mãe musa


Apesar de preocupada com a filha, Joana afirma que a menina faz a linha comportada. “Ela não dá trabalho, não. Acho que está com um namoradinho agora, mas é tranquila”, entrega Joana para ouvir o grito imediato de desaprovação por ter falado demais. “Mãe!”, reclama Ana Luiza, provocando riso geral.


Deste ponto da entrevista em diante, as duas assumem seus papeis originais, de mãe e filha, e Ana Luiza conta como é ter uma mãe gata. “Ah, os meninos sempre falam, né? Mas já acostumei. Nunca fiquei chateada com isso”, diz. “Melhor do que falar que sou feia, né, filha? Imagina... \'tua mãe é maior baranga’” , diverte-se Joana, que também é mãe de Maurício, de 9 anos. Ambos são filhos de relacionamentos anteriores da personal, que atualmente namora o policial Junior Figueiredo.


A parceria entre as duas se estende ao guarda-roupas. Por conta da semelhança física com a filha, é fácil para Joana ceder várias peças para Ana Luiza. “Vestimos a mesma coisa. Ela só é maior que eu. Daí, o que não ficar curto, ela usa”, conta a personal. “Eu roubo mais roupa da minha mãe do que ela de mim”, assume Luiza. “Rouba, estraga, esquece na casa dos outros...”, alfineta a mãe, antes de se derreter pela cria. “Somos muito parecidas no gênio. Ela tem personalidade forte. Gosto de gente que diz ao que veio. Gente morta na farofa para mim não serve. Ana Luiza tem a opinião dela e ninguém muda. Às vezes rola uns estresses entre nos duas. Mas no geral nos damos bem”, diz a personal, antes de cair no mar.


Nos siga no




PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE