Ivinhema - MS, domingo, 18 de novembro de 2018

20º min
28º min



Publicado em: 20/12/2016 às 13h32

Massa assina contrato com a Williams, mas aguarda situação de Bottas

Brasileiro teria firmado acordo de um ano com a escuderia, porém, caso negociação de Valtteri Bottas com a Mercedes não dê certo, piloto terá trato desfeito com sua equipe


- Fox Sports

Foto: Getty Images

Felipe Massa havia anunciado sua aposentadoria para as temporadas seguintes

A aposentadoria de Felipe Massa da Fórmula 1 durou pouco. Na verdade, menos de um mês. Nesta terça-feira (20 de dezembro), a italiana SKY Sports cravou que o brasileiro assinou contrato com a Williams, equipe que defendeu de 2014 a 2016, para a próxima temporada. De acordo com as informações, o contrato foi assinado nesta segunda-feira (19), e Massa receberá seis milhões de euros pela temporada, aproximadamente R$ 20 milhões.

 

Contudo, o vínculo possui uma cláusula que, caso Valtteri Bottas permaneça na Williams em 2017, o acordo é desfeito. A indefinição da continuidade ou não de Bottas na equipe é reflexo da aposentadoria do atual campeão Nico Rosberg. Após pegar todos de surpresa, inclusive a Mercedes, a equipe alemã ainda não definiu quem será o companheiro de Lewis Hamilton para o próximo ano.

 

Apesar da dúvida, Bottas aparece como opção interessante para a Mercedes. Contudo, a Williams recusou a primeira oferta pelo finlandês. O principal motivo da recusa foi o fato da Williams ficar sem um piloto experiente para 2017, uma vez que Lance Stroll, confirmado no time, tem apenas 18 anos. Por isso, a Williams viu como melhor caminho voltar a contar com Felipe Massa, piloto de 35 anos com vasta experiência tanto na Fórmula 1 quanto na própria equipe, pela qual atuou nas últimas três temporadas.

 

As primeiras notícias a respeito da volta de Massa à F1 surgiram na última semana, através do jornal francês L’Equipe. Desde então, a chefe do time, Claire Williams, já havia confirmado que voltar a contar com o brasileiro era uma realidade. Felipe havia anunciado sua aposentadoria da Fórmula 1 em setembro, quando revelou que só correria até o fim da temporada de 2016. Desde então, diversas manifestações de agradecimento ao brasileiro foram realizadas, tendo como momento marcante a corrida do piloto em Interlagos, no que seria seu último GP do Brasil.