Ivinhema - MS, quarta-feira, 19 de setembro de 2018

20º min
28º min



Publicado em: 08/05/2018 às 15h06

Deputados do MDB saem da base aliada do governo Azambuja

O anúncio foi feito pelo deputado Eduardo Rocha (MDB)


Correio do Estado

Foto: Izabela Jornada/Correio do Estado

Pensando nas eleições para governador deste ano, os sete deputados estaduais do MDB anunciaram nesta terça-feira (8), durante sessão da Assembleia Legislativa, que não fazem mais parte da base do governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), que vai concorrer a reeleição. André Puccinelli é o pré-candidato pelo MDB.

 

O anúncio foi feito pelo deputado Eduardo Rocha (MDB), líder do partido na Assembleia. “MDB desembarca hoje da base do governador. Temos candidato 100% ao Governo do Estado que é o Puccinelli e por isso estamos deixando base do governo. Mas isso não quer dizer que vamos votar de qualquer jeito. Vamos continuar votando com responsabilidade”, disse Rocha.

 

A decisão foi decretada durante uma reunião ontem (7), na casa do deputado Renato Câmara (MDB), com a presença do senador Waldemir Moka (MDB) e de Puccinelli. Antonieta Amorim, George Takimoto, o presidente da Casa de Leis, Junior Mochi, Paulo Siufi, Eduardo Rocha, Marcio Fernandes e Renato Câmara são os deputados da legenda na Assembleia e que deixam a base do governador. Além deles, o deputado Lídio Lopes (PEN) também faz parte do bloco e deve definir se continua na base do governo ou acompanha o MDB.

 

“Percorremos todo Estado, ouvindo a população e depois de várias e várias reuniões a maioria do nosso partido definiu que André [Puccinelli] seria candidato e depois definimos esse desembarque, mas não é desembarque atropelado onde queremos colocar uma oposição ferrenha mas sim desembarque político para defendermos e discutir ações do MDB. Nós representamos os quatro cantos de Mato Grosso do Sul com os sete deputados do MDB fazer essa discussão clara consciente e responsável que queremos fazer em Mato Grosso do Sul”, disse Renato Câmara.

 

“Tivemos reunião anteriormente com André e decidimos apoiar Azambuja no segundo turno do processo eleitoral, mas agora MDB tem clareza do seu projeto político e temos projeto diferente do PSDB, que tem direito de pleitear a sua reeleição, e MDB tem direito de pleitear o retorno ao Governo de Mato Grosso do Sul. Não há sentido e coerência tomar decisão diferente dessa”, disse Junior Mochi.

 

“Esta é uma decisão do partido que tem história forte e firme. Partido grande e decisão de todos os companheiros de Mato Grosso do Sul do MDB que sabe que daqui para frente não estaremos contra algum governo, mas estaremos tomado nosso rumo”, comentou Antonieta. Com Correio do Estado