Ivinhema - MS, domingo, 23 de setembro de 2018

20º min
28º min



Publicado em: 06/08/2018 às 13h16

Administrador de fazenda do presidente paraguaio é sequestrado, torturado e morto na fronteira

Cadáver apresentava sinais de tortura e queimaduras pelo corpo; rosto foi queimado e mãos decepadas


Topmidia News

Foto: PorãNews

Norberto Norberto Benitez Caballero, 38 anos, administrador de fazenda, foi sequestrado na noite de domingo e encontrado morto na madrugada desta segunda-feira (6), por volta das 05h, em Pedro Juan Caballero, Paraguai, na divisa com Ponta Porã. O corpo apresentava indícios de tortura.

 

A execução teria ocorrido nas proximidades do Aeroporto internacional Dr. Roberto Fuster da cidade paraguaia. A vítima teve as mãos decepadas e o rosto queimado.

 

Segundo os investigadores da Divisão de Homicídios, na manhã desta segunda-feira, transeuntes avisaram que o corpo de um homem se encontrava sem vida ao lado de uma caminhonete Chevrolet S10 queimada, distante cerca 15km da fronteira, onde os investigadores constataram que a vítima seria Norberto Benitez, que se encontrava com uma sacola plástica na cabeça, com o rosto parcialmente queimado e as mãos cortadas.

 

Conforme os investigadores, a vítima pode ter sido torturada pelos seus sequestradores que, após conseguirem informações, o teriam executado e queimado o veículo utilizado para o sequestro. Familiares da vítima acompanharam os procedimentos e disseram que Norberto trabalhava na fazenda Cerro Pero, do Grupo Sofia, tendo como proprietário Horácio Cartes, presidente do Paraguai.

 

Segundo o médico forense Cesar Gonzalez, a vítima sofreu asfixia mecânica, queimaduras nos ombros, tórax, braços e costas, além de apresentar cortes pelo corpo e disparos de arma de fogo na altura do pescoço e cabeça. A vítima teria sido executada há aproximadamente oito horas devido à rigidez cadavérica.